A Vida É Uma Pura Puta Abundância

A vida é abundância pura. Que nome gostoso este, né… a-bunda-ncia! Delícia pura, quem não gosta? Pois é, podemos nascer num ambiente miserável, num ambiente pobre, num ambiente remediado, num ambiente rico… porém, independente de qual seja esse ambiente, a Vida, na sua manifestação na natureza, é pura abundância. É uma puta abundância. Olha para a mãe Natureza. Tudo abunda. Se o terreno é fértil, tudo o que se planta dá… em abundância. As matas e florestas são majestosas; uma árvore, ao longo da sua puta vida longa abundante, desperdiça trilhões de sementes para vingar somente algumas dessas sementes abundantes. Sim, a grande maioria das sementes é decomposta no solo, somente algumas conseguem germinar e se tornar outras árvores. Mas mesmo essas poucas plantas que se tornam árvores já são sinônimo de uma puta mega abundância.

A vida é uma pura puta abundância

Tudo na natureza á abundante. As pedras, os minérios, as montanhas, os campos, os oceanos, os rios, os vales, até os desertos são abundantes… Há abundância na superfície, no subsolo e nos ares. A abundância deita e rola na flora e na fauna terrestres. Todos os reinos da natureza manifestam a abundância: mineral, vegetal, animal e hominal. Opa, tem um reino desses aí que deu um jeito de sabotar a abundância natural. É o tal do reino hominal. O homem, que se gaba de ser o único animal racional, sabotou a abundância natural. E o tal homem é muito fixado em bunda. Interessante, né… Será que é uma compensação por ter reprimido a a-bunda-ncia da mãe e mulher Natureza? A Deusa criou o homem, e o homem criou o sistema econômico ou financeiro.

A vida é uma pura puta abundância

Criou até um curso superior que se chama Economia. O nome já diz tudo: economia. Em outras palavras, contenção, restrição, limitação, controle, racionamento, redução, escassez… O que a natureza esbanja, o tal do sistema financeiro baseado na economia, restringe. A vida no planeta Terra é riqueza pura, mas o sistema econômico internacional transformou a maioria da população humana em pessoas pobres. Somos educados, desde pequeninos, a poupar, a segurar o dinheiro, até porque para ganhá-lo, tem que se ralar muito, tem que se suar muito a camiseta. Esta “educação” é para a maioria da população, é claro, porque para uma minoria privilegiada do topo da pirâmide social, a situação é outra. Os dominadores do mundo, criadores do atual sistema financeiro, podem esbanjar à vontade, pois a grande massa da população está condicionada a trabalhar e a produzir para eles.

A vida é uma pura puta abundância
A Sacerdotisa nos guia na descoberta dos mistérios da abundância da mãe Natureza

A virada de mesa, ou a grande revolução, só pode acontecer dentro de cada um de nós através da verdadeira educação. Vou dar aqui o meu ponto de vista sobre educação. Não sou o dono da verdade, mas é como eu percebo a educação. Independente da sua etimologia, educação, para mim, não é só expansão do intelecto ou cultura, pela aquisição de conhecimentos, mas também mergulhar dentro de si mesmo e perceber o potencial intrínseco do seu ser. Quando conhecemos o nosso potencial, aí então, podemos buscar ferramentas que nos auxiliem a trazê-lo para fora. O tantra arcano 2 A SACERDOTISA fala sobre isto. Ela é o ventre da mãe Existência onde podemos gestar o nosso potencial. É como a gestação materna. Cada um de nós tem o direito e o dever cósmicos de sermos a nossa própria mãe espiritual.

A vida é uma pura puta abundância

Buscar informações fora, pesquisar fora (fora das caixas padronizadas do sistema) é importante, mas também igualmente importante é descobrir a si mesmo no mais recôndito do seu ser. Isso só pode ser feito através da autoinvestigação que é o autoconhecimento pela meditação. A pesquisa interna é como descascar uma cebola. A cada casca tirada, mais próximo tu estás do teu verdadeiro ser. Tu podes ainda não saber quem tu és, de fato mas, a cada casca descascada, tu estás mais perto da tua essência. Se estivermos atentos ao momento presente, podemos perceber que aquilo que é, é… Assim, aquilo que eu eu sou agora é o que eu posso ser agora, e isso é um fato para mim. Quanto mais conhecemos fora e mais nos conhecemos por dentro, mais podemos nos libertar do condicionamento de escassez e mais abrimos as portas do nosso ser à abundância da Vida. Afinal, somos seres divinos em essência e merecemos viver com abundância em todos os sentidos.

Felicidade É Ser, Permanece Firme No Ser E Segue A Estrela

O que fazer para ser feliz? Essa é uma pergunta frequente em nossas vidas humanas… ou nem tão humanas assim… Mas, será que é uma questão de fazer ou de apenas ser? Aqui é que se encontra o xis da questão, meu caro Watson! A merda é que fomos educados para ter, possuir, conquistar, menos que isso não é aceito pela nossa sociedade civilizada, tão civilizada que esqueceu de ser feliz; sim, porque a felicidade é simples, é o óbvio ululante bem à frente do nosso nariz, ou de alguma outra parte do corpo que tu prefiras. Porém, a mente demente, que mente pro crente e pro descrente, imagina sempre a felicidade como algo bem distante do pobre sujeito. Aí o pobre sujeito – eu e tu – se esbagaça todo correndo a vida inteira atrás da tal da felicidade.

Felicidade é ser, permanece firme no ser e segue a estrela

Mas, se a felicidade se encontra sempre no aqui e agora, por que cargas d’água não somos capazes de dar de cara com ela? Porque a mente, que deveria ser nossa serva, sempre nos arrasta pra longe dela – da felicidade. Sim, o papel da mente é ser nossa serva, mas fizemos dela a nossa senhora toda poderosa. Até inventamos um Deus todo poderoso que é a cara da nossa mente. Só para nos torturar… É mole? Para ficarmos no presente precisamos dar uma rasteira na mente. Sim, precisamos nos antecipar a ela, ou seja, sermos mais rápidos do que o pensamento. Pronto, estamos no momento presente, onde tudo permanece um eterno vazio. Os pensamentos? Não luta contra eles, não é necessário gastar energia com eles, afinal são só pensamentos, não são reais. Eles só se concretizam se dermos a eles atenção.

Felicidade é ser, permanece firme no ser e segue a estrela

Quando tiveres essa sacada, será fácil permanecer no presente, tu começarás a curtir o aqui e agora. O presente, ou eterno presente, é o espaço vazio, como o espaço profundo, onde os corpos celestes se deslocam nas suas órbitas. O mesmo espaço que há lá fora, existe dentro de cada um de nós. Afinal, como dizem os sábios, somos um microcosmos…! Que maravilha curtir o espaço, não é mesmo? Que paz, tranquilidade e bem-aventurança! Pois então, essa é a felicidade, ou seja, curtir o espaço vazio que somos de fato. Assim, a felicidade é SER, e não TER. De repente, neste espaço vazio e profundo, começam surgir estrelas. Opa, que maravilha! Uma estrela aqui, outra ali, bilhões delas… Mas como!? Eu sou rico e não sabia disso?!

Felicidade é ser, permanece firme no ser e segue a estrela

Sim, tu és muito rico. A riqueza é o nosso dom natural e divino. Estrelas e mais estrelas… luzes e mais luzes… Escolhe apenas uma delas… dá a ela a tua atenção. Foca nela! Não desgruda dela! Deixa ela te levar… Flui com a sua luz e sabedoria… A partir desse momento o TER começa a se concretizar. Um detalhe importante: Esse TER é pleno de bênçãos porque está surgindo do teu SER, do teu vazio, do teu ventre. O nosso ventre é o ventre da mãe Existência. Segue a luz, segue a estrela, e ideias originais começarão a surgir… Mas fica atento, pois a velha mente condicionada fará de tudo para colocar empecilhos, para te chamar de louco e te alfinetar com julgamentos. Permanece firme no SER, e segue a estrela que é a tua luz verdadeira, que é a tua essência louca para se manifestar.

  • Joel Munhoz (Olói)