O Ser Importante E O Ser Um Cocô Ambulante

E aí, que tal!!? Tu te achas uma pessoa importante ou um cocô ambulante? Olha, no meu caso, às vezes eu me acho importante e, às vezes, acho que não passo de um cocô ambulante kkkk… O fato é que a tal de autoestima é uma coisa do ego apenas. Quanto mais avançamos na senda do autoconhecimento, mais percebemos que o ego (eu falso) – seja ele orgulhoso ou humilde – sempre é e sempre será um cocô ambulante. Não há ego bonito nem importante, por mais que ele se ache… entendeu? Eu só consigo me sentir importante quando me distancio do ego, quando sou uma parte integrante do Todo, quando permito que a Existência (Deus/Deusa) seja tudo o que Ela quiser através de mim.

O ser importante e o ser um cocô ambulante
Despertando a pureza da criança interior

Quando eu acho que sei tudo ou que sei muita coisa – que tenho muito conhecimento e me orgulho disso, a vida fica meio sem graça, até sem sentido, pois parece que não tem muita coisa a mais para ser descoberta. Agora, quando eu sinto que não sei nada, que minha ignorância é muito maior do que o meu conhecimento, aí sim a vida ganha um colorido especial, porque há muito para ser descoberto, há muita aventura pela frente… É como voltar a ser criança; nos tornamos mais puros, com olhos inocentes, o que nos torna capazes de ver a vida como ela é, e não como a sociedade condicionada quer que a vejamos.

O ser importante e o ser um cocô ambulante

É como me sinto agora. Minha vida está cheia de desafios, nem vou enumerá-los… Me sinto um cocô ambulante, porém isso é sensacional; meu ego está sendo destroçado, ele resiste, não quer morrer, ou não quer perder o controle sobre a minha vida. Tenta me dizer que tenho muitos problemas, que já sou uma carta fora do baralho, que o meu tempo de ser “alguém” já passou, e por aí vai… Porém, não há dinheiro que pague a consciência de que esse cara não sou eu de verdade, é um eu impostor. Aí relaxo… e posso ter um vislumbre do meu eu verdadeiro. E como é maravilhoso ter esse vislumbre! Uma energia renovada percorrer todo o meu ser e as possibilidades para mim se tornam infinitas.

O ser importante e o ser um cocô ambulante
Quando o ego se reduz a um Valete o ser interior surge como um gigante. A consciência vem à luz com todos os seus dons antes adormecidos.

Moral da história: somente somos importantes quando não desejamos ser; e quando eu desejo ser o cara me torno cada vez mais ansioso e fragmentado, e quando não estou mais nem aí pra ser isso ou aquilo, é somente aí que me sinto inteiro e pleno de força, vitalidade, prosperidade e consciência. Dá uma olhada no vídeo, pois tem muito mais sobre esse tema! Deixa o teu like e se inscreve no canal, se não está inscrito. Beijo no coração, valeu, gratidão!!!

Joel Munhoz (Olói)

A Mente É Especialista Em Transformar Desafios Em Problemas

O 5 de Ouros quer falar. Deixai-o falar! Ele está visitando a casa 7 (Libra). É um (a) cara que está em dificuldades, muitas dificuldades materiais… financeiras, de saúde… Tenta sair delas de tudo que é jeito, mas quanto mais tenta mais enredado (a) fica. É mole? Claro que não… O que fazer ou não fazer nesta situação? Vejamos! Casa 7 é preocupação com os outros. Dívidas com os outros? Também. Um grande aprendizado. Diz o mestre que a solução do problema se encontra no próprio problema. Entre fundo no problema, pare de fugir dele! Não tente tapar o sol com a peneira. Não fique tentando esconder o problema. Quanto mais você esconde o problema mais você se preocupa com quem possa descobri-lo em um momento de descuido.

A mente é especialista em transformar desafios em problemas
Tantra arcano 5 de ouros

Não precisa também sair apregoando aos quatro cantos que você tem um problema ou vários deles. Apenas esteja disposto (a) a repartir os seus problemas com quem você sente que pode fazê-lo. Exercite mais o despojamento, o desapego, a espontaneidade… De repente você está com uma pessoa, a situação se apresenta, e você pode se expor, ou expor o seu problema. Quem sabe a outra pessoa também esteja passando ou já passou por um problema semelhante!!! Ela poderá lhe dar um conselho, lhe oferecer ajuda, ou simplesmente lhe ouvir, o que já será uma grande coisa. Você se sentirá mais aliviado (a) do peso, e poderá ter novas ideias.

A mente é especialista em transformar desafios em problemas
Casa 7, preocupação com os outros, inimigos declarados, cooperação, parcerias, casamento, contratos.

Uma coisa muito importante: não se compare aos outros. A comparação é a raíz de muitos males. Não compare os seus problemas com os problemas dos outros, aí você estará arrumando mais um problema. Cada pessoa é única e tem um carma individual. Uma pessoa tem mais rosas, outra tem mais espinhos, mas enfim, cada uma está de braços dados com uma cruz. Uma pessoa “feliz” e “alto astral” muitas vezes está passando por problemas terríveis. Não veja os outros apenas pelo que aparentam. Tente ver além das máscaras. Quanto mais fundo olhamos para alguém mais percebemos que aquela pessoa “poderosa”, aos nossos olhos, não é tão poderosa assim. Enfim, todos nós temos problemas, uns numa área, outros noutra, mas o fato é que todos precisamos aprender a sermos felizes apesar dos problemas.

E, finalmente, se você for a fundo no problema – se for fundo mesmo – você verá que não existem problemas. Existem apenas desafios que a Vida coloca no nosso colo de tempos em tempos. Podemos aceitá-los ou não. Se aceitamos, fluímos com a energia do desafio e ele nos levará, como uma onda, a descobrirmos novos mares e novos ares. Porém, se não aceitamos, se reclamamos, tipo: isso não deveria acontecer comigo, não mereço, sou uma pessoa tão boa! Se não aceitamos, se lutamos contra, estamos transformando o desafio num problema. A nossa mente/ego é especialista em transformar desafios em problemas. Lutar para resolver um problema dá um ar de respeitabilidade e importância ao ego.

A mente é especialista em transformar desafios em problemas
Relaxando, aceitando, fluindo e despertando as potencialidades latentes.

Você até pode reclamar e vociferar perante um “problema”. Afinal, é mais honesto e saudável expressar um sentimento de revolta ou raiva do que reprimi-lo. Que merda! Puta que pariu! São expressões corriqueiras e automáticas. Após isso, porém, respire fundo, feche os olhos e vá fundo dentro de você mesmo, sem se julgar, sem se condenar, sem querer também se dominar. Apenas sinta e observe toda a sua energia, seja ela de raiva, de revolta, de impotência. Apenas sinta e observe a si mesmo em toda a sua complexidade. Você perceberá que junto com os sentimentos negativos se encontram também os positivos; um não está separado do outro. Junto à raiva se encontra a agressividade que te impulsiona a novas descobertas. Junto à revolta se encontra a justiça para se fazer a coisa correta. E junto à impotência se encontra a entrega do ego à vontade superior e divina. Quando temos disso consciência uma profunda gratidão brota do nosso coração e, com isso, uma energia renovada plena de novas possibilidades.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)