Precisamos De Um Bom Banho No Sentido Psicoemocional

A água flui, a água rola, a água voa… Opa, a água voa?? Às vezes sim… Quando ela salta como um chafariz do centro da terra, no fenômeno conhecido como gêiser… Ela também voa quando é aquecida pelos raios ou calor do sol. Se torna vapor e sobe, sobe… até formar as nuvens que caem sobre a terra numa benfazeja chuva; ou também numa malfazeja chuva, numa chuvarada, com trovoadas, raios, ventos terríveis, inundações, que levam tudo por diante, porém lavando a alma da Terra. Assim como a mãe Terra precisa ser lavada pela chuva, nós também precisamos de um bom banho, não somente no sentido físico, mas também no sentido psicoemocional.

Precisamos de um bom banho no sentido psicoemocional

A água flui, para a frente e para baixo. A ambição da água não é subir, e sim descer… Ela vai preenchendo todos os furos, buracos, valetas, canais, etc. Nos oceanos atinge quilômetros de profundidade. É um elemento denso e feminino. Se adapta a todas as formas e recipientes sem nunca perder a sua essência. A água contorna os obstáculos e vai levando tudo por diante. Quem pode com a sua força? O nosso corpo é constituído de aproximadamente 70% de água. A superfície da Terra também é composta de cerca de 70% de água. Somos água na nossa maior parte física. Então por que não sermos também majoritariamente água na nossa parte psicológica? Emoções são água fluindo. Sensibilidade é água fluindo. Intuição é água fluindo.

No naipe de Copas do Tarô temos todos os conhecimentos, ensinamentos e técnicas de meditação que nos possibilitam um bom banho de emoções. As emoções precisam ser renovadas. Não podemos ficar sempre no mesmo círculo de emoções a vida inteira. Tem pessoas que se cuidam, se controlam, não deixam as emoções aflorarem nas suas vidas. Viver dessa forma é viver sujo. É fugir do banho das emoções. Se não tomamos banho físico, com água física, nosso corpo se torna sujo e anti-higiênico. Da mesma forma, se não tomamos banho emocional, nosso corpo emocional se torna sujo e exala um mau cheiro que pode ser captado pelo nosso olfato psíquico. Isso faz mal para nós mesmos e para as outras pessoas que convivem conosco.

A sociedade (sistema, matrix) não quer que a água flua nas nossas vidas. É por isso que somos recomendados a dominar ou controlar as nossas emoções. Aqui precisamos fazer uma diferenciação entre emoções e sentimentos. Emoções são algo natural à vida, e da vida. Sentimentos são emoções racionalizadas, ou seja, dominadas ou controladas para se adaptarem ao modelo ou normas de conduta de uma determinada cultura ou grupo social. Exemplo: ficamos tristes com alguém ou com algo desagradável que nos aconteceu. Mas não nos permitimos experienciar a tristeza porque fomos educados a estarmos sempre pra cima, alto astral, a cultivarmos somente pensamentos e sentimentos positivos e tal… Assim, sufocamos a nossa tristeza e nos forçamos a uma alegria forçada e, principalmente para os outros, temos que manter a nossa autoimagem de pessoas positivas.

Quando reprimimos uma emoção negativa porque ela não é política ou socialmente correta, a estamos racionalizando, isto é, colocando-a dentro dos estreitos limites da nossa mente/ego condicionada. Daí surgem os sentimentos que podem descambar para o sentimentalismo quando são potencializados. Normalmente as pessoas que racionalizam as sua emoções são elogiadas por serem equilibradas. Como não temos espaço na sociedade para expressarmos as nossas emoções livremente é importantíssimo que façamos meditações dinâmicas ou ativas que visam justamente a autoexpressão de emoções e sentimentos. Assim, antes de sermos possuídos pelos sentimentos ou emoções racionalizadas, num espaço seguro onde estamos a sós, deixamos vir livremente as emoções e sentimentos que sufocamos dentro de nós.

É bom termos esse espaço e tempo para a catarse das emoções para não sairmos por aí agredindo e magoando os outros e, portanto, arrumando confusão. Sozinho (a) no teu quarto, com uma música adequada, solta a raiva, o ódio, o medo, o rancor, a mágoa, o ressentimento, a tristeza, etc. Deixa vir à tona, à consciência, todos os sentimentos e emoções trancados nas masmorras do inconsciente. O oculto que é trazido à luz deixa de ser oculto. O animal trancado a 7 chaves nas masmorras do inconsciente pode nos atacar a qualquer momento, no nosso menor descuido. O animal quando é trazido à superfície se torna nosso amigo e podemos contar com a sua força quando dela precisarmos.

Quanto Mais Sentimental Uma Pessoa Mais Prisioneira Do Ego

Tarô tântrico emoções e sentimentos. Uma vez assisti num programa de TV um cidadão – me parece que era professor de filosofia – explicando tim tim por tim tim como aconteciam os sentimentos no cérebro, ou melhor, as partes do cérebro responsáveis pelos sentimentos e emoções, e todas as suas reações bioquímicas… Era uma explicação muito inteligente. Ele afirmava que os sentimentos podem ser explicados e entendidos racionalmente. Sim, os sentimentos e emoções podem ser explicados racionalmente, como este cidadão tão bem explicou. Porém, fiquei me perguntando: será que ele, que explica tão bem os sentimentos e emoções, consegue também vivenciar tão bem os mesmos? Sim, porque da explicação à vivência já são outros quinhentos.

Tarô tântrico emoções e sentimentos diferenças corpo e mente

Tarô tântrico emoções e sentimentos o tantra nos ensina a ir alémQuais são as diferenças entre emoções e sentimentos? No meu parecer, emoções dizem mais respeito ao corpo, e sentimentos dizem mais respeito à mente. As emoções são despertadas pelos estímulos externos do ambiente. Alguém lhe ameaça e isso pode despertar as emoções do medo e da raiva. É imediato. Você poderá discutir, proferir ofensas, lutar, fugir ou ficar quieto. A sua reação à emoção é o que se denomina sentimento. A sua cultura, a sua educação, a sua religião, a sua moral, os seus traumas, os seus recalques, enfim, toda a memória psicológica que se situa no seu inconsciente é que vai dar o tom da sua reação à emoção. Assim, as emoções são mais instintivas e os sentimentos são mais programados.

Tarô tântrico emoções e sentimentos racionalizados

Tarô tântrico emoções e sentimentos o tantra nos ensina a ir alémPorém, podemos ir mais adiante na compreensão dos sentimentos e emoções. Eles acontecem em duas regiões do corpo: no coração e na cabeça. O coração, segundo pesquisadores, possui cerca de 40.000 neurônios. Ele é o centro da inteligência emocional e dos sentimentos puros que aqui se confundem com emoções. Por puros quero dizer que não foram contaminados pela mente. Não foram racionalizados ou interpretados segundo o programa mental que cada um carrega (ego). Aliás, programa mental que a pessoa confunde ser ela mesma, que julga ser a sua verdadeira identidade. A raiva brota do coração. Ao ser interpretada ou racionalizada pela mente se transforma em ódio. Observe uma criança com raiva. A raiva nela é pura. A criança ainda é só coração, o seu ego ainda não foi desenvolvido. A raiva, nela, não se transforma em ódio porque não é racionalizada. Assim como veio, logo a raiva passa, e a criança já está sorrindo e brincando novamente.

Tarô tântrico emoções e sentimentos tesão natural e tesão mental

Tarô tântrico emoções e sentimentos o tantra nos ensina a ir alémE com o desejo sexual, como acontece? De repente você fica com um tesão danado por alguém. Bem, há um tesão que é próprio do corpo, do instinto, da biologia, e do coração (emoção); bem como há um tesão que é próprio da mente, do condicionamento social, das fantasias, dos desejos (sentimento). Se você é uma pessoa mais espontânea, o tesão natural, biológico (emoção) falará mais alto. Se você é uma pessoa mais condicionada, mais controlada, o tesão mental (sentimento) falará mais alto. O tesão biológico, natural, acontece e passa. Se a outra pessoa corresponde, tudo bem, a relação rola numa boa. Mas se a pessoa não corresponde, tudo bem também. O tesão, assim como veio, passa. É como o exemplo anterior da criança com raiva. A raiva passa logo sem se transformar em ódio.

Tarô tântrico emoções e sentimentos desejo obcecado pelo outro

Tarô tântrico emoções e sentimentos o tantra nos ensina a ir alémNo caso do tesão mental é diferente. Se a outra pessoa objeto do desejo corresponde, os dois parceiros se tornam viciados um no outro, super dependentes um do outro para obterem prazer… Até que o poço do desejo seca e os dois se vêm maltrapilhos, esfarrapados e miseráveis um perante o outro. Se a pessoa objeto do desejo não corresponde, o sujeito pode se frustrar muito, se desapontar, se sentir diminuído na sua autoestima, se sentir menos homem, menos mulher… Ou pode se tornar cada vez mais obcecado pelo outro (objeto do seu desejo), e fazer de tudo para conquistar a pessoa desejada. Poderá, inclusive, lançar mão de métodos patológicos e violentos para conseguir o seu intento.

Tarô tântrico emoções e sentimentos não somos nem corpo nem mente

Tarô tântrico emoções e sentimentos o tantra nos ensina a ir alémEmoção, portanto, é algo natural, faz parte da vida, da biologia e do centro do coração. Sentimento é algo mental, programado, é a educação que nos foi dada para reagirmos às mais diferentes emoções. E quando o sentimento se torna muito racionalizado – muito ruminado pela mente – ele vira sentimentalismo, que é uma hiper valorização dos sentimentos, sejam eles bons ou ruins… Quanto mais sentimental é uma pessoa mais prisioneira ela é do seu ego. O tantra nos ensina a ir além. Ir além do corpo e ir além da mente. Afinal, como consciência divina que somos, temos um corpo e uma mente, mas não somos nem o corpo nem a mente. No entanto, nem por isso lutamos contra a mente e contra o corpo, nem reprimimos o corpo nem a mente. Apenas cuidamos deles para que permaneçam em boas condições a fim de serem um veículo apropriado à nossa consciência espiritual, à nossa alma.

Tarô tântrico emoções e sentimentos uma pausa na mente

Tarô tântrico emoções e sentimentos o tantra nos ensina a ir alémO tantra arcano que serve de inspiração ao presente texto é o 4 de Espadas. Esta carta saiu na mandala astro cabalística tarotântrica na casa 6 (energia de Virgem). 4 de Espadas é uma carta do Imperador (arcano 4) no naipe de Espadas (ar, intelecto, mente, pensamentos). É o desejo do ego de manter as coisas como estão. Mas, por outro lado, num sentido mais positivo e libertador, o 4 de Espadas é um “para-ti quieto”, uma pausa na mente que não para de pensar, de elucubrar, de analisar, de julgar, de interpretar… Chega! Basta! Desliga a mente da tomada! Ah, como é bom ficar vazio de pensamentos engendrados pelas emoções e pelos sentimentos. A casa 6 diz respeito – entre outras coisas – à rotina diária, aos trabalhos domésticos, aos serviços mais simples, à saúde física…

Tarô tântrico emoções e sentimentos viva o sonho da forma mais acordada

Tarô tântrico emoções e sentimentos o tantra nos ensina a ir alémAssim, fica leve novamente, muda a rotina da repetição de comportamento! Como? Nada de esforço… O esforço para mudar apenas reforça o ego. O que impede que você mude ou seja transformado é justamente a vontade de mudar. Abandone todo o esforço de mudar e relaxe no momento presente. Não perca mais tempo tentando mudar a mente/ego (personalidade). O ego é assim mesmo, a sua natureza é a doença. Deixe-o de lado. Pare de focar a atenção nele o tempo todo. Pare de lhe dar combustível. Apenas mantenha-se atento (a) recordando o mais que puder que você não é a mente nem o corpo. Você é pura consciência cósmica divina que se manifesta no plano terreno como corpo/mente. Apenas isso. O corpo/mente é apenas a manifestação física da sua essência divina que é o seu verdadeiro ser. Aceite o seu corpo, aceite a sua mente, aceite os seus defeitos e as suas qualidades. Viva o sonho, viva a ilusão (maya), mas da forma mais acordada possível, com uma grande consciência presente.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)