Libertando O Sagrado Feminino O Mundo Se Torna Livre

Opa, Sagrado Feminino, o que vem a ser, afinal? É a verdadeira essência do feminino, muito além do seu estereótipo fabricado pela sociedade patriarcal e machista. Todos nós, homens e mulheres, somos femininos e masculinos na nossa psique. Porém, o Sagrado Feminino é muito mais ancestral, é ancestralidade de alma. A mulher, no conceito do Sagrado Feminino, ocupa um papel de destaque – sagrado e profano – na sociedade humana. Somente ela tem o dom de gerar e dar à luz a um novo ser. Isso é divino. Mas ela também tem o dom de iniciar o homem nos mistérios do sexo, muito além da sua mente ansiosa e imediatista. O homem comum, no momento do sexo, está ansioso pela penetração e, logo a seguir, pela ejaculação.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

Mas o homem, que desce da sua arrogância machista e se deixa iniciar pela mulher, aprende as verdadeiras delícias do sexo. Assim, a meta fica em segundo plano, o que ele quer curtir mesmo, é a viagem. Não há melhor tratamento para ejaculação precoce do que deixar-se contaminar pelo Sagrado Feminino. As carícias, os toques, mãos que tocam e agarram com sutileza, amor, afeto, e também com pegada selvagem. O equilíbrio entre a força e a sutileza, entre o masculino e o feminino, deslizando pelos corpos que expressam o seu tesão, a sua vitalidade; estado de alerta, consciência da respiração e de todas as sensações e sentimentos possíveis. Isto é Sagrado Feminino.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

O Feminino estereotipado oscila entre o papel da mulher submissa aos desejos e vontades do macho e o papel da mulher que se tornou masculinizada só para conquistar os mesmos direitos civis do homem. Ambos os papéis são fortalecedores do machismo. Vamos refletir juntos sobre a sexualidade feminina. E também masculina, porque uma não existe sem a outra. A sociedade tem uma visão muito deturpada sobre amor e sexo. Usando dogmas morais e religiosos obrigaram as pessoas a serem propriedade umas das outras nos relacionamentos. Vejamos o modelo convencional de relacionamento: duas pessoas se apaixonam (heterossexuais), se casam perante a justiça e a igreja, e juram fidelidade para sempre. Ora, isso já constitui uma violência contra os hormônios sexuais, contra a biologia, contra a inteligência do instinto e, por conseguinte, contra o Feminino Sagrado Ancestral e Selvagem.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

Sim, porque o Feminino Sagrado, antes de mais nada, é selvagem. Tanto que para ilustrá-lo há muitas deusas selvagens, como por exemplo: Kali e Lilith, e demais deusas dos reinos e elementos da natureza das mitologias de todos os povos. Terá o selvagem realmente a conotação “selvagem” que damos para eles? Certamente que não, pois eles são, em muitos aspectos, muito mais civilizados e humanos do que nós. As culturas precisam ser libertadoras e não castradoras da nossa liberdade natural, divina e cósmica. Não é isso o que se verifica no nosso mundo civilizado. Devemos regredir e voltarmos a viver como selvagens? Não, é claro que não, mas podemos muito bem aprender – ou reaprender – com eles, com os povos originários, a nos harmonizarmos novamente com os ciclos femininos da mãe Natureza.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

Em nossa arrogância intelectual nos vemos separados da natureza e, por conseguinte, precisamos dominá-la. “Santa” ignorância! Este comportamento nada mais é do que dar um tiro no próprio pé. No meu ponto de vista quem colaborou muito para nos distanciarmos da natureza – e de nós mesmos – foi a Santa Madre Igreja, que de santa não tem nada. A estratégia usada foi distanciar as pessoas da sua própria energia sexual. Assim, a nossa energia sexual, que é natureza pura, instinto puro, foi pervertida em sexualidade doentia. Transformaram a mulher (a Sacerdotisa iniciadora nos mistérios do sexo e do amor) em prisioneira e objeto sexual do homem. Quando uma massa crítica de mulheres se libertarem desse jugo milenar, libertarão a sua própria energia sexual, retornarão ao seu estado original de putas sagradas, serão novamente caçadoras… O mundo, então, se tornará livre.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

O poliamor está aí, batendo na bunda… Ninguém é dono de ninguém. Podemos amar uma pessoa, duas pessoas, ou até mais… E podemos nos relacionar sexualmente com mais pessoas. Por que não? Afinal, o sexo não é uma brincadeira biológica? Desde que haja consenso entre as partes, atração e tesão, está valendo… para todas as identidades de gênero e orientações sexuais. Todos somos putos e putas sagrados. Assim, a traição e a infidelidade são eliminados naturalmente. A pluralidade de experiências sexuais e amorosas é enriquecedora para todas as pessoas. Desde que haja abertura, honestidade e autenticidade. Se torna doentia quando é feita às escondidas, reprimida por regras morais e religiosas… Esta é a razão de todas as perversões sexuais. O poliamor e os relacionamentos abertos são promíscuos? Posso dizer, com experiência própria, que não. Quanto mais liberdade se tem para os relacionamentos, mais nos tornamos seletivos, e essa seleção não vem da mente/ego, é algo natural, proveniente do tesão, do coração e da consciência.

Joel Munhoz (Olói)

Profano Sagrado Iluminação Relacionamentos Ás De Paus Casa 7

Acabou a farra… Como saber? Saber o que, afinal? Saber o momento de terminar a farra, ora! Que farra? Olha, farras existem muitas. Tem a farra do boi, a farra da propina, a farra da gandaia, a farra que vai à forra… Mas vamos falar aqui, bem de pertinho, no pé da orelha, da farra da foda, do sexo, da trepada…, ainda tão julgada e criticada. Tem gente que nem trepa só para evitar confusões e maledicências. Ou, pelo menos, faz de tudo para aparentar que não trepa. Estes, via de regra, são os que mais criticam ou sentam o pau nas trepadas dos outros. Claro, também pudera, não sentam no pau nem o pau recebe sentada, então precisam sentar o pau nos outros através da língua ferina… que também não é usada para motivos mais nobres como, por exemplo, lamber e chupar buceta ou lamber e chupar piroca.

Mas como? Um cara que se diz tântrico como pode usar um linguajar desses, tão chulo e beirando o pornográfico? Sexo tântrico não é sexo sagrado? Pois é, meu amigo e minha amiga que pensam assim… Acontece que eu não sou nem um pouco sagrado. Sou profano pra caralho. Sou totalmente profano. Ainda tenho desejos, fantasias e fetiches. Mas quem não os tem? Afinal, ainda não me iluminei totalmente. Algumas áreas do meu inconsciente já se tornaram conscientes, mas tem outras que ainda jazem na escuridão. Enquanto isso eu preciso viver; não vou me tornar padre ou me reprimir de outra forma só porque não me tornei totalmente iluminado. Lembremos que a iluminação é todo o caminho para a iluminação.

Profano sagrado iluminação relacionamentos ás de paus casa 7Vamos aprofundar no sentido desta frase: a iluminação é todo o caminho para a iluminação. Isso quer dizer que devemos ser iluminados mesmo ainda não sendo ou forçar uma iluminação que ainda não alcançamos ou que ainda não despertou em nós? Certamente que não, pois que raios de iluminação seria esta? Não passaria de uma enorme falsidade; antes de mais nada estaríamos mentindo para nós mesmos. De acordo com a minha compreensão é valorizarmos o tanto de iluminação que já aconteceu conosco. Pode ser uma iluminação pequenininha kkkkkkk, uma pequena luzinha… porém, deve ser valorizada. Por outro lado não devemos valorizar a escuridão que ainda não foi iluminada. Veja bem, não devemos valorizar nem negar.

Negar a escuridão faz com que a escuridão seja valorizada e, por conseguinte, se fortaleça. Aceite a escuridão, o profano, a pornografia, o erótico, as fantasias… não os negue, pelo amor da deusa hehehe… Não fuja da batalha, escolha viver os teus desejos, as tuas fantasias porque se você não escolher você será escolhido por eles. Escolha com todo o teu ser. Diga para você mesmo (a): escolho viver os meus desejos e fantasias sexuais intensa e totalmente, escolho ir fundo neles, com todos os sentidos bem abertos. Isso é estar consciente. Isso é vivenciar com consciência. O tantra arcano ÁS DE PAUS na casa 7 (Libra) irá nos auxiliar nesta compreensão.

Profano sagrado iluminação relacionamaentos ás de paus casa 7ÁS DE PAUS é força total. Toda a força que se tem dirigida para um só ponto. É força física, psicológica, emocional e espiritual. Lembremos que o naipe de PAUS reúne em si a energia de todos os naipes. A casa 7 é onde acontece o relacionamento com o outro, os outros… Antes de se preocupar com a opinião dos outros, ocupe-se com você mesmo (a). Quais são as tuas necessidades, quais são os teus desejos? Viu? Tem bastante, não tem? E quem não os tem? Sossegue, portanto. Você não é o (a) único (a). Todas as criaturas têm lá os seus desejos, as suas necessidades e as suas fantasias. E ninguém é alguém para atirar a primeira pedra. Diz o ditado que de perto ninguém é normal.

Nossa sexualidade é muito complexa porque a nossa sociedade ainda é muito castradora, repressora… Ainda somos estimulados e condicionados a termos um comportamento sexual dentro da média, do normal, dentro de padrões que datam de milênios, sempre nos cânones do patriarcado, do machismo… Externamente podemos ser muito civilizados, mas por dentro somos trogloditas. Tenho minhas dúvidas se os trogloditas não eram mais espontâneos… Se a nossa sociedade fosse mais natural em relação ao sexo certamente que a nossa sexualidade não seria tão complexa assim. Mas, infelizmente não é assim.

Profano sagrado iluminação relacionamentos ás de paus casa 7Na casa 7 acontecem os relacionamentos baseados no compromisso e não no amor. Os casamentos são um exemplo disso. Em quantos casamentos o amor é o que realmente une o casal? O que mantém a maioria dos casamentos é o apego, o comodismo, o conformismo, os interesses, etc.; menos o amor. E o interesse sexual? Também já foi pro saco. E ninguém libera o outro para se relacionar sexualmente com outra pessoa… Quem é que inventou a regra que o sexo só pode ser praticado por duas pessoas até que a morte os separe? Os sacanas e hipócritas dos patriarcas que hoje posam de bons moços para que as suas esposas sejam só deles enquanto que eles se refestelam com outras moçoilas e moçoilos às escondidas… O sexo é uma brincadeira biológica e pode ser praticado com quantas pessoas se queira ou se tenha desejo em praticar. Ou também somente entre duas pessoas enquanto o desejo durar.

Profano sagrado iluminação relacionamentos ás de paus casa 7Não estou aqui pregando a promiscuidade. Ser promíscuo é compulsão. O (a) promíscuo (a) pratica o sexo pelo sexo, não tem nenhum comprometimento com afetividade e humanidade. O negócio dele (a) é a quantidade de parceiros. A cultura machista é pródiga em promiscuidade. E muitas mulheres, para se igualarem aos homens, se tornaram também machistas. Relacionamento é momento. Depende do seu momento de consciência ou inconsciência, de crescimento ou de estagnação. Se você se torna mais consciente o seu relacionamento também ganhará mais luz. Se você cresce o seu relacionamento também crescerá em consciência, em maturidade, em felicidade… Não há fórmula para nenhum relacionamento. O ÁS DE PAUS na casa 7 diz que tudo está aberto, não só os relacionamentos abertos, mas também os fechados na fidelidade muitas vezes de fachada, forçada e hipócrita.

Profano sagrado iluminação relacionamentos ás de paus casa 7Cada relacionamento é único. O que se contratou no altar, nos templos, não serve para o resto da vida. Se prender a juramentos é abdicar de crescer e de ser feliz. E, principalmente, de amar porque o amor é um movimento e não uma instituição. O amor não está preso a nenhuma cultura, ele é um fenômeno do coração e não da cabeça. Ouse, faça diferente, discuta com o (a) teu (a) parceiro (a) uma forma cada vez melhor, mais sincera e honesta de se relacionar. Nunca se acomode. O amor é um rio e não uma poça d’água estagnada. Se jogue nas experiências… Fantasias? Fetiches? Novos parceiros sexuais? Swing? Relacionamento aberto? Poligamia? Seja o que for, tudo é bom desde que seja consensual. Jamais force o (a) parceiro (a) a fazer algo que ele (a) não gosta. A felicidade implica numa desconstrução do antigo para que o novo esteja sempre surgindo aqui e agora.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)

Profundamente Enraizado Na Existência Casamento Abençoado

Tarô tântrico casar com a existência. Posição firme, pés bem plantados no chão. Opa, é como se a Terra estivesse engolindo os pés… Mas, não é ruim não; as raízes do ser estão se aprofundando no solo da casa 7 (Libra): a relação com o outro, ou os outros… e também, neste caso, o reinício (noutro nível) da vida social após um considerável período de recolhimento pelo hemisfério norte (parte de baixo) do mapa astral.

Tarô tântrico casar com a existência sexo maduro espiritualizado

Tarô tântrico casar com a existência união Shiva/Shakti confiança absolutaSeis de Paus! Seis paus entrelaçados. Naipe de Paus é FOGO. É pau pegando fogo. Energia de ação espiritual, do empreendedorismo, de abrir caminho, de “botá pra quebrá”, ou melhor, “botá pra queimá”. É criatividade em ação. É a criatividade muito além do conceito de criatividade. É sexo, paixão… Mas é sexo com os pés bem plantados no chão. Sexo maduro, espiritualizado… Lembremos que todos os tantras arcanos menores “6″ estão relacionados ao tantra arcano maior 6 Os Amantes.

Tarô tântrico casar com a existência casa 7 relacionamentos legais oficiais

Tarô tântrico casar com a existência união Shiva/Shakti confiança absolutaOs relacionamentos amorosos, portanto, estão em evidência. Seis de Paus é uma carta de “Os Amantes” no naipe de Paus. A casa 7 (Libra) é a casa dos relacionamentos amorosos legais, oficiais, formais… (onde nem sempre há amor); portanto, os casamentos, papel passado e tal…

Tarô tântrico casar com a existência não tente resolver com a mente

Tarô tântrico casar com a existência união Shiva/Shakti confiança absolutaIsso tudo te angustia? Você anda meio enrolado (a) com os casamentos, relacionamentos? É pressão de tudo que é lado? Mas não esquente a cabeça não. Não tente resolver com a mente, com o ego. Tudo o que é resolvido orientado pela mente/ego não vai além dela. Não há transformação nem transcendência. Deixe que a Vida se encarregue. Coloque nas mãos da Existência. A Mãe Existência, neste momento, te toma pela mão… Deixe-se levar. Deixe que aconteça, de uma vez por todas, o teu profundo casamento com a Existência.

Tarô tântrico casar com a existência significado profundo da união Shiva/Shakti

Tarô tântrico casar com a existência união Shiva/Shakti confiança absolutaCasar com a Existência é ter confiança absoluta nela. Este é o significado mais profundo e abrangente da união Shiva/Shakti e de todas as suas aventuras amorosas. Para quem está profundamente enraizado na Existência, para quem está fundido com o Todo, qualquer outro casamento humano, seja homem/mulher,  homem/homem, mulher/mulher, será totalmente abençoado. Porém, para quem está sempre lutando contra a Vida para que a sua vontade egoica prevaleça, qualquer relacionamento em que se envolver estará fadado ao fracasso.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)