Felicidade É Ser, Permanece Firme No Ser E Segue A Estrela

O que fazer para ser feliz? Essa é uma pergunta frequente em nossas vidas humanas… ou nem tão humanas assim… Mas, será que é uma questão de fazer ou de apenas ser? Aqui é que se encontra o xis da questão, meu caro Watson! A merda é que fomos educados para ter, possuir, conquistar, menos que isso não é aceito pela nossa sociedade civilizada, tão civilizada que esqueceu de ser feliz; sim, porque a felicidade é simples, é o óbvio ululante bem à frente do nosso nariz, ou de alguma outra parte do corpo que tu prefiras. Porém, a mente demente, que mente pro crente e pro descrente, imagina sempre a felicidade como algo bem distante do pobre sujeito. Aí o pobre sujeito – eu e tu – se esbagaça todo correndo a vida inteira atrás da tal da felicidade.

Felicidade é ser, permanece firme no ser e segue a estrela

Mas, se a felicidade se encontra sempre no aqui e agora, por que cargas d’água não somos capazes de dar de cara com ela? Porque a mente, que deveria ser nossa serva, sempre nos arrasta pra longe dela – da felicidade. Sim, o papel da mente é ser nossa serva, mas fizemos dela a nossa senhora toda poderosa. Até inventamos um Deus todo poderoso que é a cara da nossa mente. Só para nos torturar… É mole? Para ficarmos no presente precisamos dar uma rasteira na mente. Sim, precisamos nos antecipar a ela, ou seja, sermos mais rápidos do que o pensamento. Pronto, estamos no momento presente, onde tudo permanece um eterno vazio. Os pensamentos? Não luta contra eles, não é necessário gastar energia com eles, afinal são só pensamentos, não são reais. Eles só se concretizam se dermos a eles atenção.

Felicidade é ser, permanece firme no ser e segue a estrela

Quando tiveres essa sacada, será fácil permanecer no presente, tu começarás a curtir o aqui e agora. O presente, ou eterno presente, é o espaço vazio, como o espaço profundo, onde os corpos celestes se deslocam nas suas órbitas. O mesmo espaço que há lá fora, existe dentro de cada um de nós. Afinal, como dizem os sábios, somos um microcosmos…! Que maravilha curtir o espaço, não é mesmo? Que paz, tranquilidade e bem-aventurança! Pois então, essa é a felicidade, ou seja, curtir o espaço vazio que somos de fato. Assim, a felicidade é SER, e não TER. De repente, neste espaço vazio e profundo, começam surgir estrelas. Opa, que maravilha! Uma estrela aqui, outra ali, bilhões delas… Mas como!? Eu sou rico e não sabia disso?!

Felicidade é ser, permanece firme no ser e segue a estrela

Sim, tu és muito rico. A riqueza é o nosso dom natural e divino. Estrelas e mais estrelas… luzes e mais luzes… Escolhe apenas uma delas… dá a ela a tua atenção. Foca nela! Não desgruda dela! Deixa ela te levar… Flui com a sua luz e sabedoria… A partir desse momento o TER começa a se concretizar. Um detalhe importante: Esse TER é pleno de bênçãos porque está surgindo do teu SER, do teu vazio, do teu ventre. O nosso ventre é o ventre da mãe Existência. Segue a luz, segue a estrela, e ideias originais começarão a surgir… Mas fica atento, pois a velha mente condicionada fará de tudo para colocar empecilhos, para te chamar de louco e te alfinetar com julgamentos. Permanece firme no SER, e segue a estrela que é a tua luz verdadeira, que é a tua essência louca para se manifestar.

  • Joel Munhoz (Olói)

A Maior Aventura É Ser Você Mesmo – 17 A Estrela

Sabe quem é que passou por aqui? A ESTRELA, brilhante como nunca. Tantra arcano 17 A ESTRELA é um brilho só. Diz Aleister Crowley que cada ser humano é uma estrela. Concordo plenamente. Todos nós temos luz própria. Acontece que somos condicionados desde a mais tenra idade a imitarmos os outros ou seguir a luz dos outros. Há pessoas que se destacam na sociedade, justamente porque colocam os seus dons a serviço daquilo que a própria sociedade espera delas. Estas pessoas se tornam formadoras de opinião, autoridades neste ou naquele assunto. Aí alguém poderá opinar: as pessoas estudam, se formam nas universidades, se tornam especialistas, justamente para serem autoridades nas áreas a que se dedicaram.

A maior aventura é ser você mesmo - 17 a estrela

Sim… porém, na minha visão, isto em parte está certo e em parte está errado. Somos seres humanos, e não máquinas nem robôs. Não é porque sou especialista ou autoridade em algum assunto que posso exigir que todas as pessoas sigam estritamente o que estou recomendando. Somos livres para aceitar ou não. Além da mente somos alma, consciência, divindade. A mente, por mais conhecimento que possua, é apenas um grão de areia no infinito oceano da consciência. Precisamos do auxílio de um especialista, de um doutor, de um terapeuta, etc., em vários momentos da nossa vida, porém, em última análise, quem deve decidir o que deve ser feito somos nós. O especialista ou autoridade é apenas um auxiliar, um técnico que disponibiliza o seu conhecimento e a sua formação para efeitos profissionais e legais; não é, absolutamente um ditador.

A maior aventura é ser você mesmo - 17 a estrela

Na nossa sociedade mercantilista, consumista e competitiva ao extremo, somos ensinados a relegar a intuição a último plano. Precisamos ser racionais a qualquer preço. Acontece que a razão quando não está a serviço da consciência se torna apenas um ego imitador num extremo e arrogante no outro. Neste mundo às avessas a razão (mente/ego) comanda o coração e a consciência. A mente somente é brilhante (A Estrela) quando está a serviço da consciência. A consciência é a alma, é o divino presente no âmago de cada ser. Faça sempre a si mesmo a seguinte pergunta quando estiver em dúvida sobre a sua verdadeira luz: Sou Eu (consciência) quem está usando a minha mente (razão), ou é a minha mente quem está me usando? Sim, porque neste mundo de imitadores a maioria das pessoas não usa a mente, muito pelo contrário, a maioria das pessoas é usada pela mente.

A maior aventura é ser você mesmo - 17 a estrela

Cada ser humano é único. Não há ninguém superior nem inferior a ninguém. Não há porque ficarmos nos comparando com os outros. A comparação é a fonte de todas as preocupações. Você perde muita energia vital quando fica se comparando com os outros. Quando mandamos a comparação para “o raio que o parta”, nos tornamos leves e inteiros. A comparação faz com que imitemos a luz dos outros que, por sua vez, estão imitando a luz de outros e, esses outros, a luz de mais outros… num círculo vicioso que não tem fim. Sabe qual é um dos segredos da felicidade? Ser você mesmo. E você se torna você mesmo, assim… de repente? Não, é claro que não. Muito tempo e energia foram investidos em ser outra pessoa que você não é, por isso levará um certo tempo para você voltar a ser você mesmo. Mas o importante é começar. Um passo hoje, um passo amanhã, retornando para você mesmo… Isso é sensacional, é a maior aventura sobre a face da Terra, você descobrir a sua verdadeira face em meio a tantas máscaras que a sociedade obrigou você a usar e a pensar que essas máscaras eram você.