Quando Nos Conhecemos Você Não Era Assim

Meditação do tantra arcano 8 de Espadas sob a influência de Mercúrio

Relacionamento que se preze não pode estar enquadrado num modelo ditado pela cultura, pela tradição, pela religião, pela moral vigente, pela sociedade enfim… Todo relacionamento enquadrado é um relacionamento morto. Se relacionar de verdade é se mover por uma região totalmente desconhecida. A cada dia você é novo, e o relacionamento também. A mutação é constante. Não importa o tempo de duração do seu relacionamento. É de 1 ano, 5 anos, 10 anos, 25 ou mais? Não importa. É sempre novo. Mas a mente velha, o ego velho (o ego sempre é velho) mantém o que é vivo e inseguro dentro de uma caixa, de uma garrafa, ou algo que o valha. O ego quer segurança, quer ter a certeza de que a pessoa que ele conheceu, um dia, será sempre a mesma. Ora, uma pessoa para ser sempre a mesma, só pode ser uma pessoa que abdicou do seu crescimento. Todo crescimento implica em mudança. Uma árvore em crescimento, a cada dia, a cada semana, se apresenta de uma forma diferente.

Quando nos conhecemos você não era assim

E aqui eu falo de um crescimento muito maior do que crescimento apenas profissional, financeiro, cultural, social… Eu falo de crescimento consciencial, ou pessoal, no seu último grau. Esse crescimento não pode ser medido com as ferramentas da racionalidade nem com os impulsos dos sentimentos. Somente com a percepção mais ampla e profunda, que se encontra além dos pensamentos e dos sentimentos, é que podemos perceber e sentir de fato esse crescimento acontecendo, tanto em nós mesmos quanto em nossos (as) parceiros (as). E como se processa o crescimento consciencial ou espiritual? Vamos tomar como parâmetro o crescimento profissional. Para crescermos profissionalmente, precisamos adquirir conhecimentos e informações especializados, e os exercitarmos com inteligência e persistência no nosso dia a dia profissional. No crescimento consciencial ou espiritual o processo é inverso. Não é através da aquisição nem da conquista, e sim através do desapego e da entrega que esse crescimento pode acontecer.

Quando nos conhecemos você não era assim

Imagine uma cebola. A cada dia você tira uma camada da cebola. Ela vai revelando outras camadas que antes não eram conhecidas. Assim é individualmente e também num relacionamento. Tem gente que reclama dos (as) seus (as) parceiros (as): “Você mudou, quando eu te conheci você não era assim.” É claro, as camadas da cebola (inconsciente) do outro certamente estão sendo retiradas ou caindo. Alguém já falou, não lembro agora, que as pessoas não mudam, elas apenas se revelam. De fato, e se a pessoa permite mais desapego, mais libertação do ego condicionado, cada vez mais camadas do inconsciente vão sendo retiradas e reveladas à claridade da consciência. Assim, se o seu parceiro ou parceira estiver revelando comportamentos ou atitudes diferentes daqueles que tinha quando vocês se conheceram, lembre-se de que isso é perfeitamente natural. Ele ou ela sempre foram assim, apenas estão se revelando…

Quando nos conhecemos você não era assim


Vejamos o que diz o tantra arcano 8 DE ESPADAS! Geralmente, no início do relacionamento, o casal mostra, um para o outro, somente coisas boas e encantadoras; mas, passado o período inicial – que varia de casal para casal, começam a surgir as atitudes feias e broxantes em todos os sentidos. Essa é a segunda camada da cebola (inconsciente). A maioria dos indivíduos num relacionamento estaciona aí. E os relacionamentos também estacionam aí, pois se habituam e se apegam a esse comportamento neurótico um do outro. O 8 DE ESPADAS valoriza a segurança e o equilíbrio, geralmente à custa da liberdade e da expansão da consciência. Mas, se você se tornar ciente de que a sua segurança e o seu equilíbrio não passam de fachada e de prisão, você estará pronto para deixar a segunda camada cair, ir embora, e aí ninguém mais lhe segura, minha irmã e meu irmão.

Quando nos conhecemos você não era assim


E qual é a influência de MERCÚRIO nisto tudo? No sentido negativo é o autoengano das aparências. Faz de conta que está tudo bem, as pessoas se apegam à segunda camada com medo da autodescoberta, do autoconhecimento, e do que o outro ainda pode revelar de estranho e desconhecido. No sentido positivo é a sensação de que, quanto mais camadas você deixar cair, mais leve, livre e em paz você se sentirá. Quanto mais camadas você avançar em direção ao seu centro, mais próximo você estará do seu deus interior que, em última instância, é você em essência. Assim, aceite o risco do crescimento, avance para a terceira, para a quarta, para a quinta, enfim, para todas as camadas do inconsciente rumo ao centro onde não existe mais nenhuma camada, onde só resta o vazio pleno de novas possibilidades. MERCÚRIO, o mensageiro dos deuses, assim falou e revelou.

Organizando A Putaria

Meditação do tantra arcano 9 de Copas na casa 9 (Sagitário)

Na vida existe muita putaria, não é mesmo? Acho que é o que mais existe, justamente porque a putaria não é algo política e socialmente correto. Por outro lado, a corrupção já é algo politicamente correto. Principalmente aqui em terras tupiniquins onde a corrupção corre frouxa e parece que já virou normalidade. Aliás, as gloriosas e afetuosas expressões “puta que pariu” e “filho da puta” deveriam, urgentemente, ser substituídas por “político que pariu” e “filho do político”. Mas, voltando à putaria que é o principal tema deste post! Putaria é uma palavra interessante, né… Aberta e de impacto. Aliás, todas as putas são muito abertas. E os putos também. Ou você acha que isso é um assunto só de mulher? A sílaba PU aprofunda… em tudo que é buraco e caverna disponível. As sílabas TA-RI-A são abertas e receptivas a todos os objetos penetrantes. Ou podem dizer que “tariam” ou estariam, não estão mais. Como, por exemplo: “não tô nem aí”, eu quero é meter, me divertir e gozar.

Organizando a putaria

Mas, de qualquer forma, é uma palavra muito impactante e de muita relevância para todas as culturas, principalmente as mais conservadoras onde a putaria é mais dissimulada e acontece por debaixo dos panos. A putaria é importante não só sob o ponto de vista “putológico” e “fodológico” como  sob o ponto de vista antropológico e até religioso. Por que religioso? Porque a putaria é um dos grandes inimigos da religião organizada. A putaria faz com que a religião seja necessária. Afinal, somente a religião e seus super heróis podem erradicar o mal que a putaria representa. É irônico porque até hoje não conseguiram realizar essa façanha; pelo contrário, tornam a putaria ainda mais marginal e nociva. Que seríamos nós sem os nossos inimigos? Se eu tenho inimigo é sinal de que eu sou importante. E, quanto mais perigoso é o meu inimigo, mais importante eu me torno.

Organizando a putaria
Tantra arcano 9 de Copas na casa 9 (signo de Sagitário).

O tantra arcano 9 DE COPAS fala na totalidade dos sentimentos e paixões, tesões e etc. Afinal, o 9 representa um mundo, um universo. Compreender um pouco mais o universo da putaria faz com que compreendamos um pouco mais a humanidade. Na putaria se extravasam todos os sentimentos que não são possíveis de se extravasar na vida em sociedade. Lembrando que a putaria é a sociedade marginal, isto é, a sociedade que não é permitida pela sociedade, mas tolerada e mantida como um meio de alimentar a sociedade na sua perene hipocrisia. E aí, você pensa muito em putaria? Normal, não é? A sociedade reprime a putaria, justamente para que pensemos muito nela – ou a favor ou contra. Quanto mais pensamos em putaria mais alimentamos os mercados paralelos e negros (lembrando que negros, aqui, não tem nada a ver com raça) que colaboram para construir a sociedade hipócrita.

Organizando a putaria

Mas a casa 9 (energia de Sagitário) tem uma bela dica para lidarmos com a putaria nossa de cada dia de uma forma saudável e construtiva. Na casa 9 encontramos as ordens, as leis, os regulamentos, a necessidade de hierarquia, de organizarmos entidades e instituições que tratem dos mais diversos assuntos e problemas sociais. Pois então, sendo a putaria um assunto tão importante, por que não organizá-la? Você já imaginou, por exemplo, a igreja da putaria, o clube da putaria, a secretaria da putaria, o ministério da putaria? Enfim… A nível particular, de cada casal, por que não organizar uma agenda da putaria? Tal dia ou final de semana seria a vez da esposa cair na putaria. Noutro dia ou final de semana seria a vez do esposo. Ou, noutra data, os dois (esposo e esposa) cairiam juntos na putaria. Quantas doenças e neuroses pessoais e sociais seriam evitadas com essa medida simples! Nos orgulhamos tanto da nossa mente superior (Sagitário) e não a usamos para organizar um assunto tão importante na vida de todos os cidadãos. Afinal, a putaria nos acompanha há tanto tempo, desde os primórdios da civilização. Você teria mais ideias de como organizá-la? Mande pra cá. Serão muito bem-vindas!

Primeiro Temos Que Ser Egoístas Para Vivenciarmos O Amor

Expressar o sentimento, seja ele qual for, expressar o amor. Sim, amor… E não importa como for, o importante é expressar. Mas o que é amor? Para mim, amor é tudo o que há. Até o ódio? Sim, o amor também contém o ódio. É meio doido para a mente, não é mesmo? Porém, essa é a minha abordagem neste momento. Meditação não é agradar à mente, meditação é deixar a mente bem confusa. Dizer que o amor contém o ódio é confuso, é paradoxal. Assim, qualquer um de nós, meros mortais, temos capacidade de amar, senão somente os iluminados e santos têm acesso e podem expressar esse amor inatingível. Ora, deve ter vários graus de amor, tu não achas? Imaginemos o amor como uma escada que nos leva ao céu. Uma mega escada, bota escada nisso… Tanto o primeiro quanto o último degrau são feitos de amor, apesar do primeiro ser um amor menor.

Primeiro temos que ser egoístas para vivenciarmos o amor

Não se diz por aí, em círculos mais esclarecidos, que não há mal, apenas o bem, e que o mal que conhecemos, não passa de um bem menor? Penso que assim é também com o amor, pois bem e amor são uma coisa só. Os amantes se chamam de amor e de benzinho, que delícia…! O tantra inclui tudo. A mensagem do tantra arcano Ás de Copas é clara. Deixa jorrar a água como ela está fluindo em ti, não queira jorrar um tipo ou qualidade de água que não está fluindo… Se tu forçares a barra, somente reforçará a falsidade e a hipocrisia na tua vida. O primeiro passo para vivenciar o amor é senti-lo por ti mesmo. Se tu não consegues te amar, meu chapa, como tu vais amar outra pessoa? Primeiro temos que ser egoístas para depois sermos altruístas; esta é a ordem do caminho natural.

Primeiro temos que ser egoístas para vivenciarmos o amor

E como proceder para termos amor próprio? Se amar por inteiro… porque se tu amares somente as tuas coisas bonitinhas, aí não tem jeito. Somos luz e sombra. Tudo o que existe nesse mundo, faz sombra. Se amarmos somente o nosso lado luz, seremos seres pela metade, meia boca, meia foda. E tem mais: quem analisa e classifica o que é luz e o que é sombra é a mente. A mente sabe muito pouco porque ela é condicionada e limitada, por mais conhecimento que tenha. Aquilo que a tua mente/ego acha que é luz, pode não ser; assim como aquilo que ela acha que é sombra, pode não ser. A moral cósmica é muito mais ampla do que a moral humana. Há uma única forma de nos amarmos como um todo: permanecermos no presente, no aqui e agora.

Primeiro temos que ser egoístas para vivenciarmos o amor

Dizem os pesquisadores da mente humana que cada mente pensa uma média de 50.000 a 60.000 pensamentos diferentes por dia. São pensamentos em excesso que drenam a nossa energia e lucidez. A grande maioria deles são julgamentos e comparações. Precisamos ficar atentos para podermos pegar os pensamentos em flagrante. Fica com o fato, seja ele qual for que esteja acontecendo AGORA. Presta atenção à tua respiração, ao teu corpo, ao teu estado emocional, às pessoas e objetos à tua volta, à atividade que estás realizando, enfim, a tudo o que estiver acontecendo no teu momento presente. Os pensamentos virão, para interpretar e julgar o que está acontecendo contigo. Fica atento! Não dá atenção a eles, deixa eles passarem e se perderem no abismo. Fica contigo mesmo, aqui e agora. Somente assim tu poderás te amar de verdade. Com a prática, o amor por ti mesmo vai crescendo… e, de repente, sem planejares nada, este amor estará se derramando para os outros.

  • Joel Munhoz (Olói)

A Lua Nos Ajuda A Enxergarmos No Escuro

Quem tem medo da escuridão aí? Quanto mais agarrados aos condicionamentos, às opiniões, às crenças, aos deves e não deves (ao ego), mais medo temos da escuridão. Por que? Porque a escuridão é o desconhecido. Entrar na escuridão é entrar no desconhecido e só pode entrar no desconhecido quem conheceu a si mesmo, pelo menos a algum grau. A mente quer controlar tudo… pobre mente! Não consegue perceber que, por mais brilhante que seja, é apenas um grão de areia na existência. A Vida é muito mais sábia do que todas as mentes. O tantra arcano 18 A LUA é a noite negra da alma, o derradeiro portal de iniciação… sim, porque depois surge o sol.

A lua nos ajuda a enxergarmos no escuro

Momentos de muita confusão são vivenciados nesta dimensão da Lua. Se tentarmos sair dela, ficaremos ainda mais confusos e, para não enlouquecermos nem entrarmos em pânico, nos agarraremos à primeira tábua de salvação que passar por nós. Se assim procedermos estaremos abortando um magnífico aprendizado, estaremos desperdiçando uma oportunidade de deixarmos o passado para trás. É um momento muito rico para nos livrarmos do velho ego, se não totalmente, pelo menos um pouco mais… Assim, aproveita a escuridão e te joga nela. Vai devagarinho, se acostumando aos poucos… Faz da confusão a tua aliada que ela te mostrará os seus mistérios.

A lua nos ajuda a enxergarmos no escuro
Tantra arcano 18 A Lua, a visão interior

A confusão tem o poder de desmontar os nossos condicionamentos. Que maravilha, né… se livrar dos condicionamentos, respirar livremente o ar puro da vida pura… A confusão tem o seu próprio tempo. Te permite ficar confuso (a) o tempo que for necessário! Tu sairás naturalmente da confusão no momento em que ela terminar o seu trabalho de te tornar mais puro (a). Ao passarmos pela noite negra da alma da confusão, podemos ampliar nossa consciência cósmica – o que somos de verdade – e a nossa percepção extra sensorial. Mergulhando no escuro somos obrigados a abrir o olho de Shiva, a terceira visão, e ressuscitar os nossos dons adormecidos. Afinal, é no ventre escuro da mãe Natureza que podemos nos recriar e virmos à luz de uma maneira totalmente renovada.

Joel Munhoz (Olói)

A Vida É Uma Calcinha Enfiada No Traseiro

A Força surgiu e, com ela, a luxúria, a volúpia… A Força é luxuriante, é voluptuosa… A Força saca a energia altamente concentrada que se esconde lá no fundo do ser da criatura e faz com que ela volte novamente a sorrir. Mas, sobre que tipo de força trataremos hoje aqui? A força do tesão, companheiro e companheira! Aliás, existirá alguma força no universo que seja destituída de tesão? Dificilmente… Pela minha própria experiência, impossível… arrisco a dizer. O tesão sexual está na base de tudo. O amor, por exemplo. Ninguém poderá vivenciar as alturas do amor sem nunca ter mergulhado nas profundezas do tesão erótico e sexual.

A vida é movida a tesão, na atração irresistível entre os opostos. O casal Shiva/Shakti está presente em tudo, em todas as reações químicas e alquímicas do universo. Tudo está em constante movimento das forças de atração e repulsão. Achei na internet uma frase que me chamou a atenção. A princípio dei uma boa duma risada. Depois, senti que poderia ter uma profundidade escondida sob tal frase. A dita cuja frase é: “A vida é uma calcinha enfiada no cu.” Substituí pela palavra traseiro no título para evitar problemas com alguns setores… Po, quanta profundidade, você não acha? Bom, vamos tentar nos aprofundar no conceito com a ajuda do tantra arcano11 A FORÇA. Esse tantra arcano mostra a dualidade dos opostos através dos dois números UM (11). No caso aqui, então, fica assim: uma polaridade é a calcinha e a outra polaridade é o cu.

A vida é uma calcinha enfiada no traseiro


A calcinha sente uma atração irresistível pelo cu que, pacientemente, espera pelo momento em que sentirá a maciez da textura do seu tecido roçando-lhe e cobrindo-lhe prazerosamente, com muita afeição e carinho. A vida é um todo de tantas e infinitas coisas que constituem um mosaico universal. Pois então, uma delas é a calcinha e, a outra delas, é o cu. Acaso pensais vós que a calcinha não é algo sagrado? Que o cu não é algo sagrado? Se assim pensais, estais redondamente enganados, pois tudo o que existe é importante e sagrado.


Tanto a mulher santa quanto a mulher pecadora possuem um cu… e usam calcinha. E tem cada santa pecadora, gostosas que só elas… E tem cada pecadora santa, verdadeiras deusas encarnadas na terra… Opa, e os homens, estão fora dessa? Só porque não usam calcinha? Mas os homens adoram uma calcinha; veja bem, calcinha… não calçola. Os homens adoram tirar a calcinha da mulher, enquanto a mulher fica pensando: “ai, que delícia, ele está baixando a minha calcinha…” E quando a mulher está de bruços então… primeiro o homem admira o conjunto mulher/calcinha, depois, vai tirando lentamente (a calcinha), enquanto esfrega delicadamente o rosto na bunda da fêmea, mulher e deusa, para depois, separar-lhe (gentilmente) as nádegas e cheirar e beijar o seu cu.

A vida é uma calcinha enfiada no traseiro


Também temos o nosso lado animal, o nosso lado cachorro que adora cheirar os cus das cadelas. Por isso é importante que os cus estejam sempre limpos e cheirosos. Porém, existem também os homens que adoram usar calcinha. Sim, porque fantasiar com cueca não está com nada, você não acha? Cueca é um artigo grotesco, sem nenhum atrativo. Uma calcinha bem transada, por sua vez, enche os olhos… e também o cu, é claro. Então, tem homem que usa calcinha, de vez em quando. Não que necessariamente ele seja viado. É claro que tem viado que usa calcinha; os travestis, por exemplo; assim como tem viado bem macho que detesta que homem se vista de mulher. Tem de tudo neste mundo. E isto é uma maravilha. Já pensou se tudo fosse a mesma coisa, como querem os comunistas e os religiosos fundamentalistas? Seria uma chatice só. Sem a liberdade de expressão das calcinhas e dos cus a vida não teria nenhuma graça.


No fundo, todos nós somos apaixonados pelo feminino, com calcinha e tudo. Mulheres… homens… de todas as orientações sexuais, somos todos apaixonados por mulheres, por calcinhas e por cus. É uma atração irresistível que, se somos contrariados, já saímos com esta: “ah, vai tomar no teu cu!” O cu e a calcinha fazem parte do imaginário erótico de todos os povos. Tem também o homem machista que adora ver uma gostosa com a calcinha enfiada no cu, mas a mulher dele não pode mostrar-se em público num minúsculo fio dental. E quando vê uma mulher mais velha ou nem tão gostosa assim, com uma minúscula calcinha, acha feio e ridículo. Democracia já! Todas as mulheres têm direito a usarem as suas calcinhas enfiadas no cu e também de tirarem as calcinhas do cu quando bem entenderem porque, afinal, tem um momento em que o cu precisa ficar longe da calcinha para poder respirar mais aliviado. A calcinha enfiada no cu também pode representar um estorvo do qual precisamos nos libertar. Portanto, se for prazeroso, use, abuse e se lambuze; se for um incômodo, livre-se dela o mais rápido possível.

A vida é uma calcinha enfiada no traseiro
Tantra arcano 11 A Força – a mulher e o leão. O tesão sexual, a vitalidade, a resistência, as raízes fincadas na Existência, na Natureza.


Olha que tão bela e profunda mensagem nos trouxe o tantra 11 A FORÇA! Esse tantra nos harmoniza com a energia animal – que nos sustenta – e que é a grande geradora da vida no plano físico, bem como de qualidades como a fé, a coragem, a vitalidade, a resistência, a saúde, a entrega, a vontade, a dança, a alegria, etc. Uma pessoa jamais poderia ter essas virtudes se, antes, não tivesse um cu. O chakra básico (muladhara) se situa na região do períneo, na base da coluna vertebral e também do cu. Além da grande importância fisiológica do cu, como aparelho de saída dos dejetos sólidos do organismo, é digno de destaque a sua importância energética, psíquica e espiritual que nos dá raízes fincadas na existência, que nos sustenta quando as tormentas querem nos arrancar do caminho e que, enfim, sustenta as nossas pernas e os nossos pés porque, sem eles, não vamos a lugar nenhum. Viva as calcinhas e os cus!

Relacionamentos Tântricos / O Ideal E O Real

Há relacionamentos e relacionamentos. Mas como serão ou ocorrerão os relacionamentos tântricos ou à luz do tantra? É sempre bom lembrar que tantra é tudo o que é espontâneo e natural. Assim, tudo o que é forçado ou condicionado a ser desse ou daquele jeito para agradar esse (a) ou aquele (a) não é tantra. Há muitos ideais e ideologias por aí… Geralmente os relacionamentos, e principalmente os casamentos, seguem uma linha de conduta ditada pela cultura de uma determinada sociedade. Para nos relacionarmos tantricamente é necessário, então, nos despirmos das personas psicológicas para que possamos nos entregarmos para o relacionamento de forma autêntica.

Relacionamentos tântricos / o ideal e o real

Porém, primeiro é necessário aprendermos a viver sozinhos. Você precisa se amar por inteiro. Não adianta você amar somente a sua parte boa e detestar a sua parte ruim. Se amar de verdade é amar tanto os seus anjos quanto os seus demônios. Assim você será uma pessoa inteira que se bastará a si mesma, não dependerá do outro para ser inteiro ou feliz. Uma pessoa que se sente uma metade sempre procurará outra metade para ser completa. Isso gera dependência e todos os jogos de poder para se ter segurança de que aquela pessoa (sua metade) será sua para sempre. Esse é o amor apego baseado na posse, muito conhecido como amor romântico.

Relacionamentos tântricos / o ideal e o real
Tantras arcanos 10 A RODA DA FORTUNA e 6 DE ESPADAS

Mas… se você está num relacionamento e ainda não aprendeu a se amar primeiro, fique onde está para começar de onde está. Lembremos a máxima tântrica e zen: tudo o que é, é. Tudo o que está acontecendo agora é exatamente o que deveria acontecer. Vejamos, então, como você pode fazer o seu relacionamento se tornar tântrico! O tantra arcano 10 A RODA DA FORTUNA pode nos auxiliar a compreendermos melhor. A roda, no seu aro externo, representa as mudanças inevitáveis da Vida. No seu eixo interno representa o seu centro, a sua essência divina imutável. Assim, precisamos nos adaptarmos às mudanças externas sem perdermos a nossa essência jamais. Isso tanto na nossa vida individual quanto nos nossos relacionamentos íntimos, sexuais, amorosos.

Relacionamentos tântricos / o ideal e o real

Você precisa refletir profundamente: até que ponto, no seu relacionamento, você está se adaptando ou você está se violentando somente para agradar o outro. Ou, até que ponto, você está forçando o outro a se comportar de uma maneira que está violentando a sua própria natureza? O tantra arcano 6 DE ESPADAS mostra os relacionamentos idealizados. O tantra, nesta carta, diz: abandone os ideais de relacionamento (fórmulas prontas) e caia na real, construa a sua própria fórmula de relacionamento. Invista na intimidade com o outro. Mas, às vezes, você tem intimidade afetiva e amorosa com o parceiro (a), mas o mesmo não acontece no plano sexual. Assim, é justo que você tenha outra pessoa para realizar as suas necessidades sexuais.

Relacionamentos tântricos / o ideal e o real

Nós somos seres poligâmicos por natureza. A monogamia é uma imposição social. Temos que dar um jeito para transgredirmos estas regras sociais, morais e religiosas, para podermos seguir o nosso coração. A fidelidade é importante? Mas é claro, mas, antes de mais nada, você deve ser fiel com você mesmo (a). Como ser fiel com o outro se não se é fiel consigo mesmo? O seu parceiro (a) de relacionamento estável deve saber do seu outro relacionamento? Sim, se ele (a) estiver aberto (a) a esta sinceridade. Se não estiver aberto, não deve saber… Não estou aqui ditando regras, estou apenas apresentando alguns exemplos. Tudo é muito relativo, há tantas variáveis quanto relacionamentos.

O mais importante é você crescer como pessoa em todos os sentidos. E isso representa evolução de consciência. A pessoa em crescimento está sempre mudando externamente para manter-se cada vez mais fiel à sua verdadeira essência ou natureza. Assim, os relacionamentos em crescimento também estão sempre mudando, se adaptando aos novos estímulos da Vida. O mais importante é perceber se as mudanças que estão acontecendo provêm do seu eixo mais interno ou provêm de estímulos e modismos superficiais da sociedade à sua volta. Você pode mudar para ser cada vez mais você mesmo (a) ou você pode mudar apenas para corresponder a uma expectativa externa. No relacionamento deve haver um consenso entre adaptação de um ao outro. Tudo deve ser consensual para que não haja opressor (a) nem oprimido (a). Haverá dor? Sim, mas há muita diferença entre a dor do crescimento e a dor do sofrimento.

Joel Munhoz (Elóy)

8 De Ouros – Qual É A Fonte Do Equilíbrio?

O 8 DE OUROS apareceu por aqui. Mazah, 8 DE OUROS!! Como está, amigo? – Vou bem, coisa e tal… E você? Mais ou menos, só um pouco desequilibrado hehe… Afinal, o 8 é o número do equilíbrio!! Equilíbrio dos mundos, diz a Cabala. Amigo 8 DE OUROS, diz aí: Qual é a fonte do equilíbrio? Opa, me surpreendi comigo mesmo ao fazer tal pergunta.! Brotou da barriga e não da cabeça. Pergunta foda! Dizem que o certo é fazer a pergunta certa. Não ansiar pela resposta, não esperar pela resposta, mas sim, fazer a pergunta correta.

8 de ouros - qual é a fonte do equilíbrio?

Você anda buscando por respostas? Anda por aí tentando resolver problemas? Pois saiba que a vida não se trata de um problema a ser resolvido. A vida é para ser degustada a cada passo no caminho. A vida é um profundo mistério que mexe com cada fibra do nosso ser. Não tente entender a vida, apenas viva o máximo que você puder, o seu mistério. O tantra arcano 8 DE OUROS nos disponibiliza este aprendizado a cada momento. O andar é sinuoso como a grafia do 8 e o deslocar-se da serpente. Para avançar ela se move para um lado e para o outro.

8 de ouros - qual é a fonte do equilíbrio?
Tantra arcano 8 de Ouros, a paciência, a perseverança no caminho. É melhor um passo certo do que mil passos incertos.

Este é o segredo do equilíbrio: andar para um lado e para o outro. Quem escolhe apenas um lado acaba se tornando radical e extremista. Se o equilibrista no arame pender só para um lado a sua queda é certa. O seu caminhar deve ser ora para um lado, ora para o outro. É tenso, na medida certa. Não pode haver tensão demais nem de menos. A sua consciência deve estar no aqui e agora, totalmente alerta. Qualquer descuido ou distração pode causar a sua queda. A mente deve estar junto ao corpo, não pode sair divagando por aí… E, se ela divagar, é só trazê-la de volta.

Qual é a fonte do equilíbrio? Ora, só pode ser o aqui e agora. A resposta surgiu de maneira clara. O equilíbrio não pode ser planejado, não pode ser uma estratégia. O equilíbrio só pode surgir do agora, do ventre da mãe Existência. Tem um tal de equilíbrio que é ensinado pelos bons costumes, pelas boas maneiras, pela moral social e religiosa, pelo politicamente correto, pela psicologia. Todavia, isto não é equilíbrio, é apenas condicionamento. Todo comportamento programado não passa de condicionamento e de prisão a uma determinada caixa do sistema.

8 de ouros - qual é a fonte do equilíbrio?

Você não pode treinar o equilíbrio diretamente, mas você pode treinar para ter equilíbrio. O treinamento para isto são as várias técnicas de meditação disponíveis no tantra que podem jogar você no seu centro vital. Somente quando você está centrado é que você pode estar em equilíbrio ou vivenciar o equilíbrio. O equilíbrio, portanto, é um subproduto do centramento. E, quando você está centrado, você está totalmente no aqui e agora… e vice versa. O 8 DE OUROS estimula a paciência, a perseverança, a construção do caminho, a atenção em cada passo… a valorização de cada transformação por menor que ela seja. E, aos poucos você vai descobrindo que o caminho e o destino são a mesma coisa.

Praticar O Tantra No Tarô, Palavra Cabalística, Trimurti Hindu

Galera, a vida, na sua manifestação, é dual, mas na sua essência é una. Tudo o que está manifesto no plano terreno obedece à lei da dualidade. Negar isto é negar a própria vida natural, é viver num mundo de fantasia. No Tarô podemos perceber isto claramente. Toda a sua estrutura é construída sobre a dualidade assim como a vida “nasce” com o raiar do dia e “morre” quando chega a noite. No símbolo do Tao chinês – yin e yang – os opostos estão em constante complementaridade. No Tantra, Shiva e Shakti estão sempre dialogando e dançando na sua criação de vida pelo universo afora… No esquema dos chakras e da kundalini há uma interligação, uma interdependência, entre as energias masculina e feminina ao longo da coluna vertebral: o nadi masculino (Sol) Pingala com o nadi feminino (Lua) Ida. Sushumna (Fogo) é o nadi central que representa o casamento alquímico entre Ida e Pingala (equilíbrio, caminho do meio).

Praticar o tantra no tarô, palavra cabalística, trimurti hinduPraticar o tantra contido no Tarô é aprimorar cada vez mais o casamento alquímico ou equilíbrio entre os opostos no próprio ser. E a fórmula básica é a palavra sagrada cabalística Iod-He-Vau-He ou a trimurti hindu Brahma-Vishnu-Shiva-Shakti. Praticar este mantra através de diversas canções e melodias (poder do som primordial) e da visualização com sentimento de 4 cartas tiradas “ao acaso” (poder da imaginação/magia em ação) é o que venho explicando ao longo dos vídeos no meu canal YouTube “Joel Munhoz Tarô Tântrico“. Acessa lá para se aprofundar mais e, se o coração disser, dá um like para ajudar o nosso canal, se inscreve no canal, ativa o sininho para receber todos os vídeos no teu email, comenta, compartilha… Desde já agradeço.

Praticar o tantra no tarô, palavra cabalística, trimurti hinduIod-He-Vau-He ou Brahma-Vishnu-Shiva-Shakti é a vivência da DUALIDADE com totalidade e a sua consequente neutralização na TERCEIRA PONTA (retorno à unidade), e mais o 4º e mais misterioso elemento que é a vivência ou dinâmica – no mundo – do TRIÂNGULO, ou equilíbrio/casamento alquímico recém concretizado. É uma técnica de meditação poderosa que movimenta todas as energias do microcosmos homem/mulher apontando para um equilíbrio/iluminação cada vez maior.

Vejamos algumas correspondências dos tantras arcanos do Tarô com o ternário/quaternário ou TETRAGRAMA:

Praticar o tantra no tarô, palavra cabalística, trimurti hindu– Arcano 1 O MAGO: Iod/Brahma

– Arcano 2 A PAPISA: He/Vishnu

– Arcano 3 A IMPERATRIZ: Vau/Shiva

Aqui temos o primeiro triângulo/equilíbrio/casamento alquímico/iluminação. Mas, para ele ser colocado em prática é necessário o misterioso 4º elemento ou quaternário ou TETRAGRAMA: o 2º He/Shakti – Feminino Primordial Ancestral Selvagem Sagrado. Afinal, o deus sem a deusa não tem poder nenhum. Lembremos que o Deus (deva) é a consciência e a Deusa (devi) é a materialização.

Assim,

-Arcano 4 O IMPERADOR: 2º He/Shakti. É O Imperador que leva o mundo recém materializado da Imperatriz adiante. Ele expande o império (civilização) nos planos físico, psicológico, emocional e espiritual, o que veremos mais adiante nos naipes dos arcanos menores: Físico (Ouros); Psicológico (Espadas); Emocional (Copas); Espiritual (Paus). O Imperador é morte e renascimento, é a transcendência de um mundo para outro, de um nível de consciência para outro, é o movimento da vida em todos os reinos da criação. Não é à toa que O Imperador é a redução do tantra arcano 13 A Morte (1+3=4) e do tantra arcano 22 O Mundo (2+2=4). É uma pequena iluminação (satori) se expandindo para uma iluminação cada vez mais ampla.

O Imperador conclui um mundo e começa outro; morre para um mundo e nasce para outro. Assim, o próximo triângulo/ternário terá o tantra arcano 4 O Imperador no início como Iod/Brahma. Lembremos que O Imperador está no FIM e está no COMEÇO. O próximo triângulo/mundo/consciência será assim constituído:

Praticar o tantra no tarô, palavra cabalística, trimurti hindu-Arcano 4 O IMPERADOR: Iod/Brahma

-Arcano 5 O HIEROFANTE: He/Vishnu

-Arcano 6 OS AMANTES: Vau/Shiva

-Arcano 7 O CARRO: 2º He/Shakti, e Iod/Brahma do triângulo/mundo/consciência seguinte.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)

Vênus 10 De Paus Sensualidade Energia Reprimida

Energia de Vênus prestes a explodir. Vênus é o planeta do amor, das delícias da vida, dos prazeres, dos encontros e desencontros afetivos, das trocas amorosas… Entre outras coisas… O tantra arcano 10 de Paus é uma energia fantástica à disposição, mas que não está sendo canalizada, aproveitada, usada ou liberada. O sujeito parece que vai explodir de tanta energia, mas não consegue colocar pra fora, expressar… É terrível! Há uma vida interior fantástica, mas a vida exterior é pobre em todos os sentidos. Essa energia, nesse caso, tem a ver mais com as características de Vênus. Portanto, a energia vital reprimida tem a ver com o amor, o prazer, a sensualidade, a nutrição, as trocas emocionais, os afetos, o dinheiro, entre outras coisas típicas de Vênus.

O 10 é a totalidade do 9 mais os começos e recomeços representados pelo 1. Ou o fechamento de um ciclo e o recomeço de outro. As coisas estão recomeçando ou precisam recomeçar. Do jeito antigo não dá mais. Você não sente mais nenhuma graça na vida, não vê sentido nela… Perceber que a vida não tem mais nenhum sentido não é o problema. Isso é apenas o sintoma do problema real. O problema também não é um problema. Lembremos que a vida nos apresenta desafios. Podemos aceitar e fluir com esses desafios ou podemos enxergar os desafios como problemas.

O seu desafio é deixar a poderosa energia reprimida sair. Mas como? Assim, de repente? Não. Vá aos poucos. Deixe sair um pouco, depois mais outro pouco… À medida que a energia vai saindo, se expressando, você vai ganhando coragem para se expressar cada vez mais. E que tipo de energia é essa que precisa sair? Ora, tudo o que a sociedade reprimiu em você através da família, da religião, da moralidade, das suas autoridades, enfim… Você precisa encarar de frente os seus próprios preconceitos, a sua culpa, a sua preocupação com a opinião dos outros sobre você, etc.

Energia de Vênus prestes a explodir está na hora de mandar pro inferno

Energia de Vênus prestes a explodir 10 de paus sensualidade fogo espíritoEm outras palavras, vamos resumir com alguns exemplos: você é liberal por dentro, mas é rígido na sua vida social. Exemplo: internamente você não vê nenhum problema em duas pessoas do mesmo sexo se relacionarem sexual e afetivamente. Ou: você simpatiza com o modelo de casamento aberto, mas, externamente precisa manter a pose de guardiã (o) da família convencional. Ou: você não aguenta mais aquele emprego chato que não tem nada a ver com o seu verdadeiro potencial. Gostaria mesmo era de seguir o seu verdadeiro sonho. Nos três exemplos, você sente uma coisa, mas expressa outra. Por medo de ser julgado (a), criticado (a), de perder os (as) amigos (as), a segurança financeira, etc. Tudo isso tem origem, com certeza, nos valores que você introjetou desde a mais tenra idade.

Está na hora de mandar tudo isso pro inferno. Se você continuar se controlando poderá psicossomatizar em alguma doença física referente a Vênus como, por exemplo: problemas no pescoço, na garganta, na circulação venosa, nos rins, nos genitais, nas glândulas sexuais… Se é que você já não está com problemas nessas áreas do corpo físico. Geralmente, o 10 de Paus, como é naipe de Paus, que reúne todos os outros anteriores, se manifesta quando você já está se arrastando, já não aguenta mais… Somente assim você encontra forças internas para mudar de comportamento.

O importante a ressaltar aqui é que não se trata de uma simples mudança; é, realmente, uma transformação. Você passa a perceber com muita lucidez o absurdo que é você estar se reprimindo, se controlando, deixando de ser você mesmo (a). O 10 de Paus é um vulcão prestes a explodir; então, não há como ficar alheio (a) a todos esses sintomas. A sensualidade (Vênus) é importantíssima. Ninguém até hoje se espiritualizou negando a sensualidade, simplesmente porque a sensualidade guarda em si o fogo do espírito. Reprimi-la, portanto, é reprimir o próprio espírito.

Valete De Paus Na Casa 7 Criança Interior Espírito De Serviço

Tarô tântrico valete de paus servir. Olá, tudo bem? Retornando aos posts… Vínhamos falando sobre o ÁS DE OUROS na casa 6 (Virgem).  Bem, por enquanto, ele movimentou o que precisava na minha vida e se retirou. Pode ser que ele retorne daqui há pouco… Nunca se sabe, com os tantras arcanos é assim. A evolução da nossa consciência não obedece um padrão linear. Flui de acordo com o círculo, com as curvas, com a elipse… Algumas vezes estamos em cima, outras embaixo. Algumas vezes estamos à frente, noutras retrocedemos. Mas, se a evolução realmente está ocorrendo, quando retornamos a um abismo que antes já fora frequentado, com certeza estaremos nele com novas e mais amplas percepções. Agora quem vem ao centro do palco é o VALETE DE PAUS na casa 7 (Libra). Estas meditações com os tantras arcanos são fantásticas, movimentam o que está “encruado”. Vão abrindo janelas e portas de consciência nos possibilitando fluir melhor com a Existência. Deixemos o tantra arcano VALETE DE PAUS falar!

– Olá, gurizada! Eu sou um guri, uma guria, um menino, uma menina, enfim, uma criança. Disse o mestre Jesus: “é necessário que vos torneis como crianças.” Veja bem, há uma diferença entre tornar-se criança e tornar-se COMO criança. Ninguém pode tornar-se criança sendo já adulto, mas seguramente pode tornar-se COMO criança, isto é, recuperando a inocência natural da criança. Reflitam sobre isso!

Legal, irei refletir e depois conto pra vocês. Após um dia de reflexão e, principalmente de meditação:

A inocência natural da criança é olhar para a vida sem medo de ser feliz. É olhar para si mesmo sem julgamentos e, consequentemente para o outro também. Isso quer dizer que ficaremos sem espírito crítico em relação à sociedade e ao sistema que a comanda? Não, de maneira nenhuma, muito pelo contrário, quanto mais inocentes formos mais teremos condições de perceber as estratégias de psicologia de massa usadas para controlar os indivíduos através da sociedade. O Valete de Paus além de ser uma criança é um serviçal e um emissário do Rei de Paus. Melhor seria dizer: um emissário ou serviçal que está em profunda comunhão com a sua criança interior.

Tarô tântrico valete de paus servir, ou servimos o sistema ou servimos o nosso deus interior

Tarô tântrico valete de paus servir deus servindo e deus sendo servido
O espírito de servir deve ser espontâneo

É isso o que nós somos aqui neste plano terreno: serviçais. Ou servimos o deus sistema com a sua elite que governa o mundo através do poder econômico (matrix), ou servimos o nosso deus interior, a divindade presente em todo o universo e que pulsa dentro de cada um de nós, o nosso eu verdadeiro, aquilo que somos em essência, que sobrevive à morte e que nos impulsiona sempre a um plano maior de perfeição. Não se pode servir a dois senhores, como bem disse o mestre Jesus.

A casa 7 (Libra) é onde acontece a nossa relação com o outro ou outros. É onde se manifesta o espírito de serviço ou de servir. O servir não pode ser uma compulsão nem uma obrigação. O servir só tem valor quando é espontâneo, quando brota do coração. Servir porque o padre mandou, o pastor mandou, a ordem mística mandou, não está com nada. Não será você que estará servindo, será um robô, um pau mandado. Servir porque você quer que Deus lhe recompense, que lhe dê algo em troca, que lhe dê o paraíso, não está com nada. O servir, dessa forma, não passará de um negócio. Seja autêntico (a)! Se o desejo de servir não estiver brotando do seu coração, não force a barra, porque esse tipo de serviço não tem valor nenhum.

Quando o servir é forçado, a pessoa beneficiada pelo serviço se vê diminuída. Você que serviu se sente maior do que a pessoa que você ajudou. Isso é uma relação egoica. Isso faz com que você se sinta maior do que o outro, estimula o seu complexo de superioridade. Quando o servir é espontâneo, tanto o que ajuda quanto o que é ajudado se encontram no mesmo nível, não há ninguém maior ou superior nem ninguém menor ou inferior. Esse é o verdadeiro serviço onde duas almas interagem em profunda comunhão. É o serviço que flui do seu coração para o coração do outro. É o serviço que flui do coração de Deus. É Deus servindo e Deus sendo servido.

Joel Munhoz Tarô Tântrico