Cavaleiro De Paus Falando Sobre Desejos Carnais E Necessidades Sexuais

O tantra arcano CAVALEIRO DE PAUS resolveu soltar o verbo… Vamos aproveitar a oportunidade e ouvi-lo com atenção! O cara já andou tanto por aí, rodou mundo, caiu, levantou… afinal, ele vivenciou os naipes de Ouros, de Espadas, de Copas para, finalmente, chegar ao naipe de Paus. A juventude e a aventura são a sua tônica. Mas não te engana, não é a juventude e a aventura imaturas; é a juventude com a experiência e a sabedoria da velhice, e é a aventura precedida por uma preparação meticulosa, quando, é claro, há condições de se planejá-la; do contrário, ele não hesita em jogar-se na Vida de alma e de coração.

Cavaleiro de paus falando sobre desejos carnais e necessidades sexuais
Tantra arcano Cavaleiro de Paus

Mas, sem mais delongas, vamos ao tema: desejos carnais e necessidades sexuais. Basicamente, desejos carnais provêm da mente/ego, como sentimentos compulsivos, automáticos, inconscientes… Necessidades sexuais provêm da inteligência instintual, animal, biológica. Desejos e necessidades diferem de pessoa para pessoa. Os desejos não são importantes para a vida de alguém, mas as necessidades sim. Para manter-se vivo e saudável nosso corpo tem certas necessidades, como dormir, beber, comer, higiene pessoal, exercício físico… e sexo. A energia sexual é a nossa energia mais poderosa e, como qualquer energia, precisa ser expressa, precisa ser vivenciada.

Cavaleiro de paus falando sobre desejos carnais e necessidades sexuais

Assim, manda ver… Não fica te reprimindo nem fica te comparando com esse (a) ou aquele (a). Cada pessoa é única e, portanto, com necessidades e desejos diferenciados. O importante é manter o equilíbrio. Energia demais faz mal e energia de menos também. Tem parceiro (a)? Que legal! Não tem parceiro (a)? Que legal também… Não é bom para ti ficar mendigando o desejo nem o amor de ninguém. Ousa te conhecer primeiro, te explorar primeiro, ousa ser o teu melhor parceiro (a) sexual! Fode contigo mesmo, transa contigo mesmo, e ama a ti mesmo! Não há separação entre amor e sexo, tudo é a mesma energia de vida.

Cavaleiro de paus falando sobre desejos carnais e necessidades sexuais

Tu podes pensar assim: Ah, mas eu tenho uns desejos e umas necessidades estranhas, anormais…!!! Olha, se isso te serve de consolo… de longe todos são normais e, de perto, todos são anormais. Eu sinto desejo por homens, por mulheres, por pessoas trans… tenho desejos gays, além dos desejos “normais” ou heteros, eu gosto de sexo anal, quero ser passivo (a) ou ativo (a)… mulher com mulher, homem com homem, sexo a três, poliamor, swing, suruba, submissão, sodomização, dominação, crossdresser, lingeries, brinquedos… enfim, o repertório é variado e criativo. O normal é fazer, o anormal é não fazer. Sim, porque se tu não fazes tu fica pensando… pensando naquilo…

Cavaleiro de paus falando sobre desejos carnais e necessidades sexuais

E “aquilo” reprimido fica te incomodando, te tirando o sono, te tirando a paz. Mas, por outro lado, se tu fazes, tu ficas querendo fazer cada vez mais… podes ficar viciado, compulsivo por sexo. E aí, como sair dessa roubada? Equilíbrio meu (a) caro (a), e cada um tem o seu próprio equilíbrio. Para conquistá-lo é necessário consciência. Os desejos carnais e as necessidades sexuais às vezes se misturam. É necessário vivê-los, com consciência, para poder distinguir uns dos outros. Consciência sempre alerta, atenção no presente, fazendo do sexo solitário, ou a dois ou a três, uma cerimônia, uma celebração à Vida e ao Divino.

Joel Munhoz (Olói)

Amar O Corpo É Descobrir Os Segredos Da Natureza

Tu gostas do teu corpo? Já fizeste amor com o teu corpo? Infelizmente o nosso corpo é muito desprezado e, quando é valorizado, esse valor acontece somente a nível exterior. A maioria das pessoas anseia por ter um corpo bonito, só por fora… Por dentro, aí são outros quinhentos… Às vezes o corpo é bonito por fora (na juventude), mas não é saudável; às vezes as pessoas são atletas, mas não têm corpos saudáveis. Nosso corpo é o que temos de mais concreto, como então não cuidar dele? O teu corpo precisa estar em boas condições para que tu possas fazer todas as outras coisas que tu desejas fazer na vida. É como cuidar do teu carro. Se tu não cuidas direito dele ele estará sempre dando pane e te deixando a pé. E tem gente que cuida muito mais do carro do que do próprio corpo… Bueno, tem louco pra tudo, cada um com a sua loucura – eu também tenho a minha – mas o importante é fazermos da nossa loucura uma coisa legal e gostosa, uma loucura deliciosa ou uma delícia de loucura.

Amar o corpo é descobrir os segredos da natureza

Fala-se muito por aí que precisamos nos amar. Ama a ti mesmo, porque se não amares a ti mesmo como poderás amar o teu semelhante? Pois então… precisamos começar a amar o nosso corpo. Cada um tem o corpo que merece ter. Quando eu era jovem eu não aceitava o meu corpo. Queria ser mais alto e mais forte. Mais forte eu consegui me tornar (sem exagero), abaixo de musculação, até porque eu era franzino quando adolescente. Porém, mais alto não tem jeito, né… Hoje aceito meu corpo de boas… E me sinto mais saudável hoje (do alto dos meus 62 anos) do que na minha juventude. Com o meu trabalho com o Tarô Tântrico venho me aprofundando no meu corpo. Cada mergulho no corpo é uma aventura. Sempre descubro mares nunca dantes navegados, multiversos e portais transdimensionais… E como tem coisa ainda para descobrir…!!! São mundos dentro de mundos. Podemos descobrir, na prática, que o nosso corpo é, de fato, um universo em miniatura.

Amar o corpo é descobrir os segredos da natureza

O tantra arcano CAVALEIRO DE PAUS abre o peito e se joga na Vida. Quanto mais amamos o nosso corpo mais amamos a Vida. Afinal, a Vida se manifesta no seu ápice físico – no plano terreno – nos corpos humanos. Consciência corporal é igual a amor, que é igual a juventude. Não importa a nossa idade biológica e cronológica, o nosso espírito é sempre jovem. Esta percepção possibilita que as pessoas, em idade mais avançada, se sintam velhos jovens. Com certeza podemos ser saudáveis e termos qualidade de vida na velhice. Infelizmente as mais diversas culturas, salvo exceções, são contrárias ao corpo. O corpo, coitado, anda a reboque da mente. A mente quando é idolatrada se torna um ego tirano do corpo e da consciência. Uma mente só é saudável quando é amiga do corpo. O corpo possui uma inteligência fantástica: a inteligência biológica ou inteligência do instinto. Quando somos amigos e amantes do nosso corpo ele compartilha conosco os segredos da natureza.

Amar o corpo é descobrir os segredos da natureza

A inteligência instintual, animal, foi sufocada por toneladas de bugigangas intelectuais. Precisamos lembrar que a base do humano é o animal, e a base do divino é o humano. Amemos o animal, pois ele é as nossas raízes fincadas na natureza e na Existência. Sem ele nenhum intelecto é possível. Tu já imaginaste um intelecto andando sozinho por aí? Ama o teu corpo, pega o teu corpo, agarra o teu corpo. A automassagem é sensacional para despertar regiões do corpo que estão mais adormecidas. Normalmente as memórias traumáticas ficam entranhadas nas células e criam couraças emocionais nos músculos. O tantra arcano 16 A TORRE nos ajuda a colocarmos por terra a tirania da mente sobre o corpo. Compreendemos, afinal, que mente e corpo não são entidades separadas. A mente, assim como a consciência, está presente em cada célula do nosso corpo. Podemos dizer que a mente é o corpo em estado sutil, e o corpo é a mente em estado denso. E consciência é a percepção de que temos um corpo/mente, mas não somos nem o corpo nem a mente.

Joel Munhoz (Olói)

Sem Coração Não Há Razão Para Viver

Acabei de criar uma nova música: Sem Coração Não Há Razão. Essa briga entre coração e razão é antiga. Somos ensinados, desde tenra idade, de que o racional precisa estar acima dos sentimentos e emoções. Porém, antes de mais nada, é necessário sabermos que coração é esse que precisa ser sufocado pela razão… Não é o verdadeiro coração. É um coração caricato, estereotipado. É um coração inventado pela mente/ego – um coração fake; um coração criado pelo romantismo, pelo sentimentalismo. Nos relacionamentos românticos, cantados em verso e prosa, os amantes são super dependentes um do outro. Isso não tem nada a ver com o verdadeiro coração, o centro da inteligência emocional.

Sem coração não há razão para viver

Sim, ele tem uma importante função energética/espiritual, além da sua importância física no corpo, como um órgão que bombeia o sangue oxigenado (arterial) para várias partes do corpo. Aliás, ele funciona como uma bomba dupla: enquanto o lado direito bombeia sangue venoso para os pulmões, o lado esquerdo bombeia sangue arterial para as demais partes do corpo, levando oxigênio, nutrientes e energia vital (prana) para todas as células. Assim, ele é o centro do sistema circulatório bem como o centro da inteligência emocional processando os sentimentos e emoções. Os sentimentos e emoções negativos ele bombeia para os pulmões cuja função é torná-los positivos com energia vital do oxigênio e do prana. Os sentimentos e emoções positivos ele bombeia para as demais partes do corpo.

Sem coração não há razão para viver

Mas quem decide o que é positivo e o que é negativo não é a mente, e sim, o coração. Daí que vem a frase: sentimentos são para serem sentidos e não explicados. Por favor, então, não tente entender nem explicar os sentimentos e emoções. Em vez disso mande-os para o coração. Junto com o coração também se encontra a glândula timo compondo o plexo ou chakra cardíaco – anahata. Quando tentamos explicar sentimentos e emoções criamos o sentimentalismo. Dessa forma deturpamos e reprimimos a autenticidade dos sentimentos transformando-os em ego. Assim, a mente transforma os sentimentos e emoções em ego, enquanto o coração os transforma em vitalidade e consciência.

Sem coração não há razão para viver

Pensar e raciocinar é importante. Mas, por mais brilhante que seja a mente, ela é limitada. Tem coisas que ela pode resolver, mas tem outras coisas que não. Quando você já pensou tanto a fim de resolver algo e não conseguiu, já é o momento de jogar para o coração. Isso quer dizer sentir e confiar. O sentir e o confiar é uma dimensão mais ampla da vida. Nessa dimensão você se entrega para a Existência. E, com certeza, a Existência é muito mais sábia do que cada um de nós. Somos os seus filhos, ela nos pariu e, certamente, cuida e sempre cuidará de nós.

  • Post escrito sob inspiração do tantra arcano 4 O IMPERADOR. Muito mais importante do que expandir as fronteiras físicas, materiais, financeiras, sociais… é expandir as fronteiras psicológicas, emocionais e espirituais. Quanto mais racionais somos mais nos limitamos em caixas. Quanto mais coração colocamos nas coisas que fazemos mais nos expandimos na Vida e mais maturidade alcançamos, não só emocional como também espiritual.

Joel Munhoz (Olói)

Libertando O Sagrado Feminino O Mundo Se Torna Livre

Opa, Sagrado Feminino, o que vem a ser, afinal? É a verdadeira essência do feminino, muito além do seu estereótipo fabricado pela sociedade patriarcal e machista. Todos nós, homens e mulheres, somos femininos e masculinos na nossa psique. Porém, o Sagrado Feminino é muito mais ancestral, é ancestralidade de alma. A mulher, no conceito do Sagrado Feminino, ocupa um papel de destaque – sagrado e profano – na sociedade humana. Somente ela tem o dom de gerar e dar à luz a um novo ser. Isso é divino. Mas ela também tem o dom de iniciar o homem nos mistérios do sexo, muito além da sua mente ansiosa e imediatista. O homem comum, no momento do sexo, está ansioso pela penetração e, logo a seguir, pela ejaculação.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

Mas o homem, que desce da sua arrogância machista e se deixa iniciar pela mulher, aprende as verdadeiras delícias do sexo. Assim, a meta fica em segundo plano, o que ele quer curtir mesmo, é a viagem. Não há melhor tratamento para ejaculação precoce do que deixar-se contaminar pelo Sagrado Feminino. As carícias, os toques, mãos que tocam e agarram com sutileza, amor, afeto, e também com pegada selvagem. O equilíbrio entre a força e a sutileza, entre o masculino e o feminino, deslizando pelos corpos que expressam o seu tesão, a sua vitalidade; estado de alerta, consciência da respiração e de todas as sensações e sentimentos possíveis. Isto é Sagrado Feminino.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

O Feminino estereotipado oscila entre o papel da mulher submissa aos desejos e vontades do macho e o papel da mulher que se tornou masculinizada só para conquistar os mesmos direitos civis do homem. Ambos os papéis são fortalecedores do machismo. Vamos refletir juntos sobre a sexualidade feminina. E também masculina, porque uma não existe sem a outra. A sociedade tem uma visão muito deturpada sobre amor e sexo. Usando dogmas morais e religiosos obrigaram as pessoas a serem propriedade umas das outras nos relacionamentos. Vejamos o modelo convencional de relacionamento: duas pessoas se apaixonam (heterossexuais), se casam perante a justiça e a igreja, e juram fidelidade para sempre. Ora, isso já constitui uma violência contra os hormônios sexuais, contra a biologia, contra a inteligência do instinto e, por conseguinte, contra o Feminino Sagrado Ancestral e Selvagem.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

Sim, porque o Feminino Sagrado, antes de mais nada, é selvagem. Tanto que para ilustrá-lo há muitas deusas selvagens, como por exemplo: Kali e Lilith, e demais deusas dos reinos e elementos da natureza das mitologias de todos os povos. Terá o selvagem realmente a conotação “selvagem” que damos para eles? Certamente que não, pois eles são, em muitos aspectos, muito mais civilizados e humanos do que nós. As culturas precisam ser libertadoras e não castradoras da nossa liberdade natural, divina e cósmica. Não é isso o que se verifica no nosso mundo civilizado. Devemos regredir e voltarmos a viver como selvagens? Não, é claro que não, mas podemos muito bem aprender – ou reaprender – com eles, com os povos originários, a nos harmonizarmos novamente com os ciclos femininos da mãe Natureza.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

Em nossa arrogância intelectual nos vemos separados da natureza e, por conseguinte, precisamos dominá-la. “Santa” ignorância! Este comportamento nada mais é do que dar um tiro no próprio pé. No meu ponto de vista quem colaborou muito para nos distanciarmos da natureza – e de nós mesmos – foi a Santa Madre Igreja, que de santa não tem nada. A estratégia usada foi distanciar as pessoas da sua própria energia sexual. Assim, a nossa energia sexual, que é natureza pura, instinto puro, foi pervertida em sexualidade doentia. Transformaram a mulher (a Sacerdotisa iniciadora nos mistérios do sexo e do amor) em prisioneira e objeto sexual do homem. Quando uma massa crítica de mulheres se libertarem desse jugo milenar, libertarão a sua própria energia sexual, retornarão ao seu estado original de putas sagradas, serão novamente caçadoras… O mundo, então, se tornará livre.

Libertando o sagrado feminino o mundo se torna livre

O poliamor está aí, batendo na bunda… Ninguém é dono de ninguém. Podemos amar uma pessoa, duas pessoas, ou até mais… E podemos nos relacionar sexualmente com mais pessoas. Por que não? Afinal, o sexo não é uma brincadeira biológica? Desde que haja consenso entre as partes, atração e tesão, está valendo… para todas as identidades de gênero e orientações sexuais. Todos somos putos e putas sagrados. Assim, a traição e a infidelidade são eliminados naturalmente. A pluralidade de experiências sexuais e amorosas é enriquecedora para todas as pessoas. Desde que haja abertura, honestidade e autenticidade. Se torna doentia quando é feita às escondidas, reprimida por regras morais e religiosas… Esta é a razão de todas as perversões sexuais. O poliamor e os relacionamentos abertos são promíscuos? Posso dizer, com experiência própria, que não. Quanto mais liberdade se tem para os relacionamentos, mais nos tornamos seletivos, e essa seleção não vem da mente/ego, é algo natural, proveniente do tesão, do coração e da consciência.

Joel Munhoz (Olói)

O Sexo É Um Caminho Espiritual, Vale A Pena Percorrê-Lo

A energia sexual é a energia mais poderosa que temos neste plano terreno. Ela é a responsável pelo prazer de estarmos vivos, aqui e agora. A Vida dá continuidade a si mesma através do sexo. O amor físico é sexo. O tesão de viver, conquistar, criar, procriar, cultivar, construir, etc., é sexo. Alguém poderá dizer: mas e o espírito, a energia espiritual, não é a mais importante? Sim, com certeza. Mas, para o tantra, energia sexual e espiritual são a mesma energia. Assim não há briga para ver quem é a mais importante, não é mesmo? Energia vital é a mesma em todos os reinos e dimensões, apenas ela se manifesta em diferentes frequências de vibração ou em diferentes oitavas do teclado cósmico. O sexo é um caminho espiritual, vale a pena percorrê-lo.

O sexo é um caminho espiritual, vale a pena percorrê-lo

A energia sexual vivenciada pelas pessoas é a sexualidade. Cada um tem a sua. Cada pessoa é uma identidade de gênero no âmbito da sexualidade, não há ninguém igual. O tantra trabalha a libertação da sexualidade compulsória para que você vivencie a sua energia sexual de uma maneira livre. Ser liberto da sexualidade não significa que você se torne um abstêmio sexual, significa que você vivencia a sua energia sexual sem ser dela um escravo. Afinal, o sexo é bom, mas não é tudo. Há tantas outras coisas maravilhosas na vida para serem curtidas e desfrutadas. Mas, para descobrir isso é necessário ir fundo no sexo. Vivenciar com consciência, vivenciar o prazer não só pelo prazer, mas com a intenção de aprender, de se conhecer a fundo.

O sexo é um caminho espiritual, vale a pena percorrê-lo

Assim, chegará um momento em que você se cansará do sexo. Aí é o momento da libertação, de respirar acima do sexo. Mas enquanto o apelo sexual estiver forte é preciso navegar e mergulhar nele, porque se você tentar se abster haverá repressão. O tantra é o caminho da libertação, da iluminação, que precisa ser trilhado passo a passo. Cada passo tem a sua própria alegria e tristeza… e beleza. Sim, beleza… podemos vê-la e senti-la tanto na alegria como na tristeza. Basta aceitarmos totalmente, tanto uma quanto outra. A lei do três ou do triângulo exemplifica bem isso. Há um tempo para fazer sexo (1) e há um tempo para se abster do sexo (2). Tanto o fazer quanto o não fazer devem ser feitos com muita consciência, muita presença.

O sexo é um caminho espiritual, vale a pena percorrê-lo
Tantra arcano Rei de Espadas: a “segurança” do sexo machista idealizado pela cultura patriarcal.

Assim, após o fazer e o não fazer surgirá um terceiro elemento (3) que independe da tua vontade. Você será jogado (a) num vácuo de transcendência (pequena iluminação). É nesta terceira ponta do triângulo que acontece a lucidez, a clareza, a percepção, a libertação, o divino… O fazer e o se abster (dualidade) são importantes para que você seja jogado (a) além da dualidade. Esse é o passo a passo de que falei anteriormente. A libertação é gradativa, a iluminação é gradativa, assim como uma jornada cumprida é o resultado de todos os passos que foram dados para concretizá-la.

Joel Munhoz (Elóy)

Relacionamentos Tântricos / O Ideal E O Real

Há relacionamentos e relacionamentos. Mas como serão ou ocorrerão os relacionamentos tântricos ou à luz do tantra? É sempre bom lembrar que tantra é tudo o que é espontâneo e natural. Assim, tudo o que é forçado ou condicionado a ser desse ou daquele jeito para agradar esse (a) ou aquele (a) não é tantra. Há muitos ideais e ideologias por aí… Geralmente os relacionamentos, e principalmente os casamentos, seguem uma linha de conduta ditada pela cultura de uma determinada sociedade. Para nos relacionarmos tantricamente é necessário, então, nos despirmos das personas psicológicas para que possamos nos entregarmos para o relacionamento de forma autêntica.

Relacionamentos tântricos / o ideal e o real

Porém, primeiro é necessário aprendermos a viver sozinhos. Você precisa se amar por inteiro. Não adianta você amar somente a sua parte boa e detestar a sua parte ruim. Se amar de verdade é amar tanto os seus anjos quanto os seus demônios. Assim você será uma pessoa inteira que se bastará a si mesma, não dependerá do outro para ser inteiro ou feliz. Uma pessoa que se sente uma metade sempre procurará outra metade para ser completa. Isso gera dependência e todos os jogos de poder para se ter segurança de que aquela pessoa (sua metade) será sua para sempre. Esse é o amor apego baseado na posse, muito conhecido como amor romântico.

Relacionamentos tântricos / o ideal e o real
Tantras arcanos 10 A RODA DA FORTUNA e 6 DE ESPADAS

Mas… se você está num relacionamento e ainda não aprendeu a se amar primeiro, fique onde está para começar de onde está. Lembremos a máxima tântrica e zen: tudo o que é, é. Tudo o que está acontecendo agora é exatamente o que deveria acontecer. Vejamos, então, como você pode fazer o seu relacionamento se tornar tântrico! O tantra arcano 10 A RODA DA FORTUNA pode nos auxiliar a compreendermos melhor. A roda, no seu aro externo, representa as mudanças inevitáveis da Vida. No seu eixo interno representa o seu centro, a sua essência divina imutável. Assim, precisamos nos adaptarmos às mudanças externas sem perdermos a nossa essência jamais. Isso tanto na nossa vida individual quanto nos nossos relacionamentos íntimos, sexuais, amorosos.

Relacionamentos tântricos / o ideal e o real

Você precisa refletir profundamente: até que ponto, no seu relacionamento, você está se adaptando ou você está se violentando somente para agradar o outro. Ou, até que ponto, você está forçando o outro a se comportar de uma maneira que está violentando a sua própria natureza? O tantra arcano 6 DE ESPADAS mostra os relacionamentos idealizados. O tantra, nesta carta, diz: abandone os ideais de relacionamento (fórmulas prontas) e caia na real, construa a sua própria fórmula de relacionamento. Invista na intimidade com o outro. Mas, às vezes, você tem intimidade afetiva e amorosa com o parceiro (a), mas o mesmo não acontece no plano sexual. Assim, é justo que você tenha outra pessoa para realizar as suas necessidades sexuais.

Relacionamentos tântricos / o ideal e o real

Nós somos seres poligâmicos por natureza. A monogamia é uma imposição social. Temos que dar um jeito para transgredirmos estas regras sociais, morais e religiosas, para podermos seguir o nosso coração. A fidelidade é importante? Mas é claro, mas, antes de mais nada, você deve ser fiel com você mesmo (a). Como ser fiel com o outro se não se é fiel consigo mesmo? O seu parceiro (a) de relacionamento estável deve saber do seu outro relacionamento? Sim, se ele (a) estiver aberto (a) a esta sinceridade. Se não estiver aberto, não deve saber… Não estou aqui ditando regras, estou apenas apresentando alguns exemplos. Tudo é muito relativo, há tantas variáveis quanto relacionamentos.

O mais importante é você crescer como pessoa em todos os sentidos. E isso representa evolução de consciência. A pessoa em crescimento está sempre mudando externamente para manter-se cada vez mais fiel à sua verdadeira essência ou natureza. Assim, os relacionamentos em crescimento também estão sempre mudando, se adaptando aos novos estímulos da Vida. O mais importante é perceber se as mudanças que estão acontecendo provêm do seu eixo mais interno ou provêm de estímulos e modismos superficiais da sociedade à sua volta. Você pode mudar para ser cada vez mais você mesmo (a) ou você pode mudar apenas para corresponder a uma expectativa externa. No relacionamento deve haver um consenso entre adaptação de um ao outro. Tudo deve ser consensual para que não haja opressor (a) nem oprimido (a). Haverá dor? Sim, mas há muita diferença entre a dor do crescimento e a dor do sofrimento.

Joel Munhoz (Elóy)

Masturbação Masculina E Energia Vital – O Que Diz O Tantra

Masturbação masculina, em pleno século 21, ainda é um assunto complicado para muita gente boa. O que tem de homem teorizando e ideologizando a velha bronha não está no gibi. São religiões, ideologias e filosofias detonando com as cabeças, com os corpos e consciências. Muitos homens se privam da masturbação com medo do fogo do inferno, de ficarem sem energia, e pelas mais várias razões. O fato é que a natureza é mais forte e, lá pelas tantas, o cara não aguenta mais e se masturba. Aí bate a culpa, a vergonha e a sensação de fracasso por não ter tido força para dominar-se.

No outro extremo se encontram os punheteiros inveterados. Para esses a única coisa que importa é o alívio da tensão. Usam a masturbação para relaxarem das tensões do dia a dia. E dá-lhe punheta! Diz Paracelso que a diferença entre o veneno e o remédio se encontra na dose. Assim, os extremos para mais e para menos são prejudiciais. O que diz o tantra? Bueno, para complicar ainda mais há alguns tântricos recomendando que o sujeito deve se masturbar sem ejacular. Eu, como não me prendo a nenhum ensinamento que não tenha passado pela prova da minha experiência, digo que não é bem assim. Confere aí no vídeo! Valeu!

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)

Precisamos De Um Bom Banho No Sentido Psicoemocional

A água flui, a água rola, a água voa… Opa, a água voa?? Às vezes sim… Quando ela salta como um chafariz do centro da terra, no fenômeno conhecido como gêiser… Ela também voa quando é aquecida pelos raios ou calor do sol. Se torna vapor e sobe, sobe… até formar as nuvens que caem sobre a terra numa benfazeja chuva; ou também numa malfazeja chuva, numa chuvarada, com trovoadas, raios, ventos terríveis, inundações, que levam tudo por diante, porém lavando a alma da Terra. Assim como a mãe Terra precisa ser lavada pela chuva, nós também precisamos de um bom banho, não somente no sentido físico, mas também no sentido psicoemocional.

Precisamos de um bom banho no sentido psicoemocional

A água flui, para a frente e para baixo. A ambição da água não é subir, e sim descer… Ela vai preenchendo todos os furos, buracos, valetas, canais, etc. Nos oceanos atinge quilômetros de profundidade. É um elemento denso e feminino. Se adapta a todas as formas e recipientes sem nunca perder a sua essência. A água contorna os obstáculos e vai levando tudo por diante. Quem pode com a sua força? O nosso corpo é constituído de aproximadamente 70% de água. A superfície da Terra também é composta de cerca de 70% de água. Somos água na nossa maior parte física. Então por que não sermos também majoritariamente água na nossa parte psicológica? Emoções são água fluindo. Sensibilidade é água fluindo. Intuição é água fluindo.

No naipe de Copas do Tarô temos todos os conhecimentos, ensinamentos e técnicas de meditação que nos possibilitam um bom banho de emoções. As emoções precisam ser renovadas. Não podemos ficar sempre no mesmo círculo de emoções a vida inteira. Tem pessoas que se cuidam, se controlam, não deixam as emoções aflorarem nas suas vidas. Viver dessa forma é viver sujo. É fugir do banho das emoções. Se não tomamos banho físico, com água física, nosso corpo se torna sujo e anti-higiênico. Da mesma forma, se não tomamos banho emocional, nosso corpo emocional se torna sujo e exala um mau cheiro que pode ser captado pelo nosso olfato psíquico. Isso faz mal para nós mesmos e para as outras pessoas que convivem conosco.

A sociedade (sistema, matrix) não quer que a água flua nas nossas vidas. É por isso que somos recomendados a dominar ou controlar as nossas emoções. Aqui precisamos fazer uma diferenciação entre emoções e sentimentos. Emoções são algo natural à vida, e da vida. Sentimentos são emoções racionalizadas, ou seja, dominadas ou controladas para se adaptarem ao modelo ou normas de conduta de uma determinada cultura ou grupo social. Exemplo: ficamos tristes com alguém ou com algo desagradável que nos aconteceu. Mas não nos permitimos experienciar a tristeza porque fomos educados a estarmos sempre pra cima, alto astral, a cultivarmos somente pensamentos e sentimentos positivos e tal… Assim, sufocamos a nossa tristeza e nos forçamos a uma alegria forçada e, principalmente para os outros, temos que manter a nossa autoimagem de pessoas positivas.

Quando reprimimos uma emoção negativa porque ela não é política ou socialmente correta, a estamos racionalizando, isto é, colocando-a dentro dos estreitos limites da nossa mente/ego condicionada. Daí surgem os sentimentos que podem descambar para o sentimentalismo quando são potencializados. Normalmente as pessoas que racionalizam as sua emoções são elogiadas por serem equilibradas. Como não temos espaço na sociedade para expressarmos as nossas emoções livremente é importantíssimo que façamos meditações dinâmicas ou ativas que visam justamente a autoexpressão de emoções e sentimentos. Assim, antes de sermos possuídos pelos sentimentos ou emoções racionalizadas, num espaço seguro onde estamos a sós, deixamos vir livremente as emoções e sentimentos que sufocamos dentro de nós.

É bom termos esse espaço e tempo para a catarse das emoções para não sairmos por aí agredindo e magoando os outros e, portanto, arrumando confusão. Sozinho (a) no teu quarto, com uma música adequada, solta a raiva, o ódio, o medo, o rancor, a mágoa, o ressentimento, a tristeza, etc. Deixa vir à tona, à consciência, todos os sentimentos e emoções trancados nas masmorras do inconsciente. O oculto que é trazido à luz deixa de ser oculto. O animal trancado a 7 chaves nas masmorras do inconsciente pode nos atacar a qualquer momento, no nosso menor descuido. O animal quando é trazido à superfície se torna nosso amigo e podemos contar com a sua força quando dela precisarmos.

Princípios Básicos Para A Prática Da Retenção Da Ejaculação

Reter a ejaculação é uma boa? Não é? Convido você para refletir comigo sobre o assunto neste artigo. É claro que todo homem sente um relaxamento físico, um desfalecimento, uma fraqueza, logo após ejacular. O homem é reto na sua constituição física, o seu órgão sexual é para fora, na forma de um pau. Quando ele ejacula é como se o pau estivesse pegando fogo e, por conseguinte, consumindo-se na sua própria energia. O pênis ou lingam é externo, a sua tendência, portanto, é colocar a energia vital para fora.

Princípios básicos para a prática da retenção da enjaculação

Há estudos na ciência médica que indicam que o homem, a cada ejaculação, perde até um miligrama de zinco, mineral importantíssimo que, entre outras funções, é responsável pela digestão de proteínas. As proteínas são os tijolos que constroem os músculos. Se a sua digestão se torna deficiente o homem sofrerá de sarcopenia, ou seja, perderá massa magra. Só para efeito de comparação, tomemos como exemplo a mulher. A sua constituição física é redonda, curvilínea. O seu órgão sexual é para dentro.

A forma da mulher é como a forma dos corpos celestes. Eles são redondos, curvilíneos, por isso conservam energia. Nas formas circulares, elípticas, redondas, curvilíneas… a energia é conservada dentro, não é jogada fora. Assim, para o homem começar nesta prática de reter a ejaculação, tanto na masturbação como na relação sexual, é necessário observar-se o equilíbrio, como em tudo na vida. Vá aos poucos, passo a passo, uma vez segura, retém… em outras vezes solta… Vá se experimentando, sentindo como o teu organismo reage.

Princípios básicos para a prática da retenção da ejaculação

Se obrigar a não ejacular por longos períodos certamente vai te trazer problemas. Você irá ficar mais tenso, angustiado, irritado, raivoso, violento… Cada organismo é diferente do outro. É preciso também levar em conta o estilo de vida de cada um, alimentação, atividade física, atividade profissional, idade, se a pessoa usa remédios que têm efeitos colaterais no aparelho genital urinário… A retenção da ejaculação, muito mais do que o simples fato de se conservar a energia vital, é um processo profundo de autoconhecimento sexual e espiritual.

Na masturbação, por exemplo: não toque somente o genital naquele frenesi de se livrar do tesão/tensão o mais rápido possível. Reserve um tempo para isso. Faça dessa prática um ritual, uma cerimônia, um culto ao Falo, ao Princípio Universal do Sagrado Masculino. Toque todo o teu corpo, descobrindo novas áreas que também são prazerosas. Você se tornará mais sensual, mais magnético, mais consciente, mais preparado para transar com a mulher, pois o tempo da mulher é mais longo do que a maioria dos homens criados e educados na cultura machista patriarcal.

Princípios básicos para a prática da retenção da ejaculação

Na masturbação, quando sentir que a ejaculação está vindo, respire fundo, olhos fechados, observe e sinta a energia sexual vital circulando dentro de você. Dessa forma você prolongará o ato, sentirá muito mais prazer, o seu corpo ficará mais vivo… E poderá ejacular no final ou simplesmente não ejacular. Lembremos que ejaculação não é orgasmo. Podemos ter orgasmo sem ejacular e, na maioria das vezes, ejaculamos sem vivenciarmos o orgasmo. O orgasmo é muito mais do que um breve alívio da tensão. É uma explosão de energia que relaxa o corpo inteiro. Relaxa e não te deixa fraco, pelo contrário, você se sente muito mais energizado.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)

Profano Sagrado Iluminação Relacionamentos Ás De Paus Casa 7

Acabou a farra… Como saber? Saber o que, afinal? Saber o momento de terminar a farra, ora! Que farra? Olha, farras existem muitas. Tem a farra do boi, a farra da propina, a farra da gandaia, a farra que vai à forra… Mas vamos falar aqui, bem de pertinho, no pé da orelha, da farra da foda, do sexo, da trepada…, ainda tão julgada e criticada. Tem gente que nem trepa só para evitar confusões e maledicências. Ou, pelo menos, faz de tudo para aparentar que não trepa. Estes, via de regra, são os que mais criticam ou sentam o pau nas trepadas dos outros. Claro, também pudera, não sentam no pau nem o pau recebe sentada, então precisam sentar o pau nos outros através da língua ferina… que também não é usada para motivos mais nobres como, por exemplo, lamber e chupar buceta ou lamber e chupar piroca.

Mas como? Um cara que se diz tântrico como pode usar um linguajar desses, tão chulo e beirando o pornográfico? Sexo tântrico não é sexo sagrado? Pois é, meu amigo e minha amiga que pensam assim… Acontece que eu não sou nem um pouco sagrado. Sou profano pra caralho. Sou totalmente profano. Ainda tenho desejos, fantasias e fetiches. Mas quem não os tem? Afinal, ainda não me iluminei totalmente. Algumas áreas do meu inconsciente já se tornaram conscientes, mas tem outras que ainda jazem na escuridão. Enquanto isso eu preciso viver; não vou me tornar padre ou me reprimir de outra forma só porque não me tornei totalmente iluminado. Lembremos que a iluminação é todo o caminho para a iluminação.

Profano sagrado iluminação relacionamentos ás de paus casa 7Vamos aprofundar no sentido desta frase: a iluminação é todo o caminho para a iluminação. Isso quer dizer que devemos ser iluminados mesmo ainda não sendo ou forçar uma iluminação que ainda não alcançamos ou que ainda não despertou em nós? Certamente que não, pois que raios de iluminação seria esta? Não passaria de uma enorme falsidade; antes de mais nada estaríamos mentindo para nós mesmos. De acordo com a minha compreensão é valorizarmos o tanto de iluminação que já aconteceu conosco. Pode ser uma iluminação pequenininha kkkkkkk, uma pequena luzinha… porém, deve ser valorizada. Por outro lado não devemos valorizar a escuridão que ainda não foi iluminada. Veja bem, não devemos valorizar nem negar.

Negar a escuridão faz com que a escuridão seja valorizada e, por conseguinte, se fortaleça. Aceite a escuridão, o profano, a pornografia, o erótico, as fantasias… não os negue, pelo amor da deusa hehehe… Não fuja da batalha, escolha viver os teus desejos, as tuas fantasias porque se você não escolher você será escolhido por eles. Escolha com todo o teu ser. Diga para você mesmo (a): escolho viver os meus desejos e fantasias sexuais intensa e totalmente, escolho ir fundo neles, com todos os sentidos bem abertos. Isso é estar consciente. Isso é vivenciar com consciência. O tantra arcano ÁS DE PAUS na casa 7 (Libra) irá nos auxiliar nesta compreensão.

Profano sagrado iluminação relacionamaentos ás de paus casa 7ÁS DE PAUS é força total. Toda a força que se tem dirigida para um só ponto. É força física, psicológica, emocional e espiritual. Lembremos que o naipe de PAUS reúne em si a energia de todos os naipes. A casa 7 é onde acontece o relacionamento com o outro, os outros… Antes de se preocupar com a opinião dos outros, ocupe-se com você mesmo (a). Quais são as tuas necessidades, quais são os teus desejos? Viu? Tem bastante, não tem? E quem não os tem? Sossegue, portanto. Você não é o (a) único (a). Todas as criaturas têm lá os seus desejos, as suas necessidades e as suas fantasias. E ninguém é alguém para atirar a primeira pedra. Diz o ditado que de perto ninguém é normal.

Nossa sexualidade é muito complexa porque a nossa sociedade ainda é muito castradora, repressora… Ainda somos estimulados e condicionados a termos um comportamento sexual dentro da média, do normal, dentro de padrões que datam de milênios, sempre nos cânones do patriarcado, do machismo… Externamente podemos ser muito civilizados, mas por dentro somos trogloditas. Tenho minhas dúvidas se os trogloditas não eram mais espontâneos… Se a nossa sociedade fosse mais natural em relação ao sexo certamente que a nossa sexualidade não seria tão complexa assim. Mas, infelizmente não é assim.

Profano sagrado iluminação relacionamentos ás de paus casa 7Na casa 7 acontecem os relacionamentos baseados no compromisso e não no amor. Os casamentos são um exemplo disso. Em quantos casamentos o amor é o que realmente une o casal? O que mantém a maioria dos casamentos é o apego, o comodismo, o conformismo, os interesses, etc.; menos o amor. E o interesse sexual? Também já foi pro saco. E ninguém libera o outro para se relacionar sexualmente com outra pessoa… Quem é que inventou a regra que o sexo só pode ser praticado por duas pessoas até que a morte os separe? Os sacanas e hipócritas dos patriarcas que hoje posam de bons moços para que as suas esposas sejam só deles enquanto que eles se refestelam com outras moçoilas e moçoilos às escondidas… O sexo é uma brincadeira biológica e pode ser praticado com quantas pessoas se queira ou se tenha desejo em praticar. Ou também somente entre duas pessoas enquanto o desejo durar.

Profano sagrado iluminação relacionamentos ás de paus casa 7Não estou aqui pregando a promiscuidade. Ser promíscuo é compulsão. O (a) promíscuo (a) pratica o sexo pelo sexo, não tem nenhum comprometimento com afetividade e humanidade. O negócio dele (a) é a quantidade de parceiros. A cultura machista é pródiga em promiscuidade. E muitas mulheres, para se igualarem aos homens, se tornaram também machistas. Relacionamento é momento. Depende do seu momento de consciência ou inconsciência, de crescimento ou de estagnação. Se você se torna mais consciente o seu relacionamento também ganhará mais luz. Se você cresce o seu relacionamento também crescerá em consciência, em maturidade, em felicidade… Não há fórmula para nenhum relacionamento. O ÁS DE PAUS na casa 7 diz que tudo está aberto, não só os relacionamentos abertos, mas também os fechados na fidelidade muitas vezes de fachada, forçada e hipócrita.

Profano sagrado iluminação relacionamentos ás de paus casa 7Cada relacionamento é único. O que se contratou no altar, nos templos, não serve para o resto da vida. Se prender a juramentos é abdicar de crescer e de ser feliz. E, principalmente, de amar porque o amor é um movimento e não uma instituição. O amor não está preso a nenhuma cultura, ele é um fenômeno do coração e não da cabeça. Ouse, faça diferente, discuta com o (a) teu (a) parceiro (a) uma forma cada vez melhor, mais sincera e honesta de se relacionar. Nunca se acomode. O amor é um rio e não uma poça d’água estagnada. Se jogue nas experiências… Fantasias? Fetiches? Novos parceiros sexuais? Swing? Relacionamento aberto? Poligamia? Seja o que for, tudo é bom desde que seja consensual. Jamais force o (a) parceiro (a) a fazer algo que ele (a) não gosta. A felicidade implica numa desconstrução do antigo para que o novo esteja sempre surgindo aqui e agora.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)