Identidade De Gênero Sexo Biológico Sexualidade Prazer Amor

Tarô tântrico identidade de gênero. Tenho visto e lido nas redes sociais postagens sobre ideologia de gênero. Vejo que tem muita gente que senta o pau na ideologia de gênero, principalmente gente que se diz de direita. Ainda não tive tempo de pesquisar a fundo sobre a referida ideologia, o pensamento de quem a criou, etc. Portanto, por enquanto não posso me posicionar nem contra nem a favor… Particularmente, não sou apegado a nenhuma ideologia, seja ela mais libertária ou mais conservadora. Nem tampouco me defino como de direita ou de esquerda no que se refere a posição política. Sou um ser em constante mutação, em crescimento. No momento em que me defino eu estaciono, congelo. Prefiro ser como a água no estado líquido, sempre fluindo, tomando a forma dos mais diferentes recipientes sem, portanto, perder a sua essência.

Tarô tântrico identidade de gênero no que se refere à expressão sexual

Tarô tântrico identidade de gênero cada pessoa é única nos seus desejosPelo que eu tenho observado na prática dos meus atendimentos trabalhando com a sexualidade, todas as pessoas são únicas no que se refere à sua expressão sexual. E, também – e principalmente – no que se refere à sua não expressão sexual, pois a maioria ainda não consegue expressar toda a pujança sexual que vai dentro do seu íntimo. Por que acontece isso? Porque existem padrões de comportamento sexual ditados pela sociedade que todos têm que seguir. Mas, às escondidas… Às escondidas o bicho come solto. Isto é, nem tão solto porque tem muitos que fazem, mas se sentem culpados depois. Os que não têm coragem para fazer às escondidas continuam reprimidos e com vontade de fazer.

Tarô tântrico identidade de gênero longe de uma liberdade de fato

Tarô tântrico identidade de gênero cada pessoa é única nos seus desejosAssim, todo mundo é infeliz. Os que transgridem as regras sociais, morais, religiosas, se sentem culpados depois, os que não transgridem permanecem reprimidos. É claro que quem tem poder econômico – e é homem – pode fazer e acontecer. As mulheres sempre foram mais reprimidas, mas estão se libertando e reivindicando para si o direito ao prazer sexual. Porém, estamos ainda longe de uma liberdade (de fato) no que diz respeito ao sexo. A liberdade que experimentamos hoje em dia é uma liberdade apenas de fachada. Os corpos estão mais nus, mas, psicologicamente, as pessoas continuam ainda presas aos velhos padrões medievais machistas patriarcais. Usam o sexo não para terem prazer, mas para exercerem poder uns sobre os outros.

Tarô tântrico identidade de gênero sexo biológico e sexualidade

Tarô tântrico identidade de gênero cada pessoa é única nos seus desejosCada pessoa é um mundo totalmente diferente em todos os sentidos, e isso também no âmbito sexual. Biologicamente existem três gêneros sexuais: masculino, feminino e intersexual. Sexo biológico é uma coisa e sexualidade é outra. A sexualidade é uma construção social que afeta cada pessoa de maneiras diferentes levando-se em consideração as peculiaridades de cada um como: local onde nasceu, família, condições materiais, nível econômico, classe social, etnia, religião, escolaridade, etc. Some-se a isso a carga (karma) que o indivíduo traz de vidas anteriores. Há tantos traumas e recalques que carregamos de tantas e tantas vidas, pois a História humana é pródiga em sofrimento muito mais do que em prazer, felicidade e amor.

Tarô tântrico identidade de gênero cada pessoa é única

Tarô tântrico identidade de gênero cada pessoa é única nos seus desejosCada pessoa, portanto, é o somatório de tudo o que passou e viveu. A memória psicológica subconsciente e inconsciente é o que determina o seu comportamento sexual no presente. Somente deixa de ser assim quando o sujeito atinge a iluminação, mas, enquanto essa suprema realização espiritual não acontece, a pessoa ainda está sujeita às influências inconscientes da sua memória psicológica (ego). Assim, no que se refere à sexualidade, cada pessoa é única no seu gênero. Não existem dois indivíduos iguais no que se refere a gênero sexual, ou melhor, a identidade de gênero. E a identidade de gênero também vai além da orientação sexual do indivíduo. Nem todos os gays são da mesma identidade de gênero, nem todos os heteros são da mesma identidade de gênero, nem todos os bissexuais são da mesma identidade de gênero.

Tarô tântrico identidade de gênero ao longo da vida a sexualidade vai mudando

Tarô tântrico identidade de gênero cada pessoa é única nos seus desejosCada pessoa é única na sua identidade de gênero, independente de ser homem, mulher, intersexual, homo, hetero ou bissexual. Cada pessoa é única nos seus desejos, nas suas fantasias, nas suas necessidades e compulsões sexuais, na sua saúde e na sua doença. Ao longo da vida a sexualidade vai mudando.  Quando se menos espera alguns desejos diferentes vão surgindo, ou alguns desejos que eram incipientes na adolescência e juventude vão ganhando força à medida que a pessoa vai entrando na maturidade e na velhice. Nada mais natural do que isso. Mas isso assusta, principalmente as pessoas que foram mais condicionadas, mais moldadas pela sociedade. Deixe fluir porque se você não deixar fluir a energia sexual (que é vida física e espiritual) vai ter que sair por outros canais e aí ela se torna pervertida, portanto, destrutiva a si mesmo e aos outros.

Tarô tântrico identidade de gênero terapias de abordagem tântrica

Tarô tântrico identidade de gênero cada pessoa é única nos seus desejosDaí a importância do tantra nos dias de hoje. Terapias de abordagem tântrica podem ajudar tremendamente as pessoas, dessa nova era aquariana de transparência e verdade, a se aceitarem como são nos seus mais diversos períodos de vida. Não tem nada mais sofrido do que o indivíduo ter que lutar contra a sua identidade de gênero só para se adequar ao padrão de sexualidade que recebeu da sociedade. Não tem nada mais libertador do que o indivíduo se aceitar como realmente é. Ser fiel à sua própria identidade de gênero se torna de uma ajuda extraordinária num caminho de autoconhecimento genuíno.

Tarô tântrico identidade de gênero aceite a sua forma

Tarô tântrico identidade de gênero cada pessoa é única nos seus desejosPost escrito sob a inspiração do tantra arcano Ás De Paus na casa 12 (Peixes). Ás De Paus é a unidade ou essência divina que se diversifica em miríades de formas diferentes no mundo da forma, da manifestação física. Aceite a sua forma para que você possa também aceitar a sua essência. Às vezes, por exemplo, a forma física que temos não é nossa forma física de verdade. Então, por que não mudá-la através da alimentação saudável e de exercícios? Porém, você pode mudar até um certo ponto, pois precisa respeitar a estrutura física básica que a natureza te deu. Quando violentamos a natureza pagamos um preço caro por isso. Se você nasceu com um pênis e faz uma cirurgia para extrair o pênis você está violentando a sua natureza básica. Se você nasceu com seios e faz uma cirurgia para extrair os seios você está violentando a sua natureza básica. Lembre-se: a nossa missão aqui é trabalhar em harmonia com a natureza. Podemos melhorar a natureza, torná-la mais viva, mais alegre, mais encantadora. Porém, não temos o direito de agredir, violentar e deturpar a natureza. Na casa 12 essa sensibilidade é muito fina. Há uma linha muito tênue que separa a saúde da doença, a iluminação da loucura. Namastê!

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)

 

Me Rendo À Vida Que Pulsa Em Mim E Em Tudo O Que Há

Tarô tântrico eu me rendo. Já usei todas as possibilidades da minha mente/ego e só me enredei mais na rede armadilha do meu passado assaltando o presente.
Eu me rendo. Já usei todo o meu repertório de superação e de tentar controlar e dominar as situações.
Eu me rendo. Aprendi numa certa organização que o domínio da vida é possível.
Eu me rendo. Querer dominar a vida é loucura. Quem sou eu, um grão de areia, uma poeira das estrelas, para querer dominar a vida?
Eu me rendo. O poder e a sabedoria da vida são infinitos e incomensuráveis. Eu sou a vida. A vida está fora, mas também está dentro de mim.

Tarô tântrico eu me rendo à minha consciência

Tarô tântrico eu me rendo quem sou eu para querer dominar a vidaDescobri que lutar contra as minhas fraquezas é lutar contra eu mesmo.
Eu me rendo. Todo o meu passado, com os meus erros e os meus acertos, foi perfeito.
Eu me rendo. Desisti de me culpar pelo meu passado, até porque o passado não se pode mudar.
Eu me rendo. A vida sempre me apresenta mil e uma possibilidades e oportunidades. Escolho uma delas de acordo com o meu grau de consciência. Não são as situações externas que precisam mudar. Eu preciso me render à minha consciência para que ela se expanda cada vez mais.

Tarô tântrico eu me rendo aceito a imperfeição como perfeita

Ao invés de repudiar o meu passado decidi usá-lo com criatividade.
Eu me rendo. Tudo o que eu fiz antes me trouxe à situação em que me encontro hoje.
Eu me rendo. A situação em que me encontro hoje pode não ser a perfeita nem a ideal aos olhos da minha mente/ego. Mas é a situação perfeita aos olhos da minha alma.
Eu me rendo. Tudo é perfeito, mesmo o que consideramos imperfeito. Quando aceito a imperfeição como perfeita ela pode crescer para um grau de perfeição cada vez maior.

Tarô tântrico eu me rendo à minha essência divina

Tarô tântrico eu me rendo quem sou eu para querer dominar a vidaNão desejo mais ser bom nem ser aceito, admirado ou amado pelos outros. Decidi ser eu mesmo com todos os riscos envolvidos. Apenas sendo eu mesmo posso crescer de verdade.
Eu me rendo. Não sou uma ilha. Faço parte de todo o oceano. Faço parte do Todo. Não tenho mais objetivos pessoais. Meu objetivo é o objetivo do Todo.
Eu me rendo. Me rendo à Vida que pulsa em mim e em tudo o que há. Me rendo a mim mesmo, ao meu Ser mais profundo, à minha essência divina, àquilo que eu sou de verdade.
Render-se à Existência é o mais completo relaxamento e a suprema meditação. O tantra arcano que melhor exprime isso é o 12 O PENDURADO.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

(Elóy)

 

Valete De Paus Na Casa 7 Criança Interior Espírito De Serviço

Tarô tântrico valete de paus servir. Olá, tudo bem? Retornando aos posts… Vínhamos falando sobre o ÁS DE OUROS na casa 6 (Virgem).  Bem, por enquanto, ele movimentou o que precisava na minha vida e se retirou. Pode ser que ele retorne daqui há pouco… Nunca se sabe, com os tantras arcanos é assim. A evolução da nossa consciência não obedece um padrão linear. Flui de acordo com o círculo, com as curvas, com a elipse… Algumas vezes estamos em cima, outras embaixo. Algumas vezes estamos à frente, noutras retrocedemos. Mas, se a evolução realmente está ocorrendo, quando retornamos a um abismo que antes já fora frequentado, com certeza estaremos nele com novas e mais amplas percepções. Agora quem vem ao centro do palco é o VALETE DE PAUS na casa 7 (Libra). Estas meditações com os tantras arcanos são fantásticas, movimentam o que está “encruado”. Vão abrindo janelas e portas de consciência nos possibilitando fluir melhor com a Existência. Deixemos o tantra arcano VALETE DE PAUS falar!

– Olá, gurizada! Eu sou um guri, uma guria, um menino, uma menina, enfim, uma criança. Disse o mestre Jesus: “é necessário que vos torneis como crianças.” Veja bem, há uma diferença entre tornar-se criança e tornar-se COMO criança. Ninguém pode tornar-se criança sendo já adulto, mas seguramente pode tornar-se COMO criança, isto é, recuperando a inocência natural da criança. Reflitam sobre isso!

Legal, irei refletir e depois conto pra vocês. Após um dia de reflexão e, principalmente de meditação:

A inocência natural da criança é olhar para a vida sem medo de ser feliz. É olhar para si mesmo sem julgamentos e, consequentemente para o outro também. Isso quer dizer que ficaremos sem espírito crítico em relação à sociedade e ao sistema que a comanda? Não, de maneira nenhuma, muito pelo contrário, quanto mais inocentes formos mais teremos condições de perceber as estratégias de psicologia de massa usadas para controlar os indivíduos através da sociedade. O Valete de Paus além de ser uma criança é um serviçal e um emissário do Rei de Paus. Melhor seria dizer: um emissário ou serviçal que está em profunda comunhão com a sua criança interior.

Tarô tântrico valete de paus servir, ou servimos o sistema ou servimos o nosso deus interior

Tarô tântrico valete de paus servir deus servindo e deus sendo servido
O espírito de servir deve ser espontâneo

É isso o que nós somos aqui neste plano terreno: serviçais. Ou servimos o deus sistema com a sua elite que governa o mundo através do poder econômico (matrix), ou servimos o nosso deus interior, a divindade presente em todo o universo e que pulsa dentro de cada um de nós, o nosso eu verdadeiro, aquilo que somos em essência, que sobrevive à morte e que nos impulsiona sempre a um plano maior de perfeição. Não se pode servir a dois senhores, como bem disse o mestre Jesus.

A casa 7 (Libra) é onde acontece a nossa relação com o outro ou outros. É onde se manifesta o espírito de serviço ou de servir. O servir não pode ser uma compulsão nem uma obrigação. O servir só tem valor quando é espontâneo, quando brota do coração. Servir porque o padre mandou, o pastor mandou, a ordem mística mandou, não está com nada. Não será você que estará servindo, será um robô, um pau mandado. Servir porque você quer que Deus lhe recompense, que lhe dê algo em troca, que lhe dê o paraíso, não está com nada. O servir, dessa forma, não passará de um negócio. Seja autêntico (a)! Se o desejo de servir não estiver brotando do seu coração, não force a barra, porque esse tipo de serviço não tem valor nenhum.

Quando o servir é forçado, a pessoa beneficiada pelo serviço se vê diminuída. Você que serviu se sente maior do que a pessoa que você ajudou. Isso é uma relação egoica. Isso faz com que você se sinta maior do que o outro, estimula o seu complexo de superioridade. Quando o servir é espontâneo, tanto o que ajuda quanto o que é ajudado se encontram no mesmo nível, não há ninguém maior ou superior nem ninguém menor ou inferior. Esse é o verdadeiro serviço onde duas almas interagem em profunda comunhão. É o serviço que flui do seu coração para o coração do outro. É o serviço que flui do coração de Deus. É Deus servindo e Deus sendo servido.

Joel Munhoz Tarô Tântrico

O Corpo Humano Foi Na Atlântida A Base Para A Cultura

O artigo anterior foi o primeiro sobre o aspecto ÁS DE OUROS EM VIRGEM. Este, portanto, é o segundo. Há que se ler o primeiro para se compreender este. Ficou algo no ar sobre a Atlântida. Diz o Ás de Ouros que nasceu na Atlântida. Sim, neste continente perdido cuja última porção de terra submergiu sob forte cataclismo há aproximadamente 12.000 anos, existiu uma civilização super avançada, não só em termos materiais, tecnológicos, como também sob o ponto de vista espiritual. Minha intenção aqui não é provar que existiu essa civilização. Não vou, portanto, citar obras nem autores, apenas Platão, nos seus diálogos Timeu e Crítias onde descreve o continente da Atlântida situada, por ele, próxima às colunas de Hércules (estreito de Gibraltar). Para mim, a Atlântida realmente existiu. O tarô e o tantra surgiram pela primeira vez na Atlântida; criados ali ou trazidos de outro planeta. Os governantes de Atlântida e muitos dos seus habitantes eram extraterrestres. Havia, naquela época, muitos sábios iluminados (cientistas e místicos) que conheciam a fundo o universo exterior assim como o universo interior.

O tarô é um mapa do universo. O ser humano é um universo em miniatura. O tarô, portanto, é um mapa do macro universo e do micro universo (homem). Descreve em minúcias toda a sua multi diversidade de energias. Vivenciar o tarô é tantra. Os atlantes praticavam com muita proficiência a máxima hermética atribuída a Hermes Trismegistus: “assim como em cima é embaixo.” Em cima é o macro universo físico e metafísico. Embaixo é o micro universo (homem) físico e metafísico. O corpo humano, portanto, foi a base para qualquer cultura. Foi na Atlântida e posteriormente na civilização drávida de aproximadamente 5.000 anos atrás no vale do Indo no noroeste da Índia. Hoje em dia, a maioria das culturas existentes é contra o corpo. Dessa forma, o corpo sofre nas mãos da mente. O corpo está sempre a cabresto da mente. Ora, se o corpo físico do ser humano é um micro universo é claro que precisa ser respeitado nas suas necessidades básicas. Somos mais do que um corpo físico biológico? Sim, é claro que somos, mas o corpo é a nossa base animal sobre a qual nos apoiamos para levarmos a cabo a nossa missão terrena. Sem ele, nada seria possível. Sem ele não estaríamos encarnados ou reencarnados. Não estaria eu escrevendo aqui nem você lendo aí. Nenhum filósofo, cientista, artista ou místico seria possível se não tivesse um corpo físico.

A Atlântida realmente existiu Ás de Ouros momento de renascimento

A Atlântida realmente existiu o tarô e o tantra surgiram na Atlântida

Um Einstein precisou dum corpo. Um Jesus precisou dum corpo. Um Buda precisou dum corpo. Um Leonardo da Vinci precisou dum corpo. Uma Simone de Beuvoir precisou dum corpo. Todos nós precisamos dum corpo para levarmos a cabo a nossa missão terrena, para realizarmos os nossos sonhos, para realizarmos o nosso potencial. E, no entanto, a cultura sempre está contra o corpo; a sociedade sempre está contra o corpo. O corpo está sempre subordinado às regras morais e sociais. As religiões organizadas foram criadas para sufocarem o corpo. O corpo é natureza pura. É por isso que a natureza está sendo eliminada do planeta. Na base disso estão as religiões criadas pelo homem. O homem inventou um deus para dizer que foi ele quem inventou as religiões. Mas nenhum deus inventou religião alguma. Afora as religiões espontâneas ligadas aos ciclos da natureza, da Mãe Terra, todas as outras religiões organizadas são fruto da mente humana, justamente para dominar outras mentes humanas que, dominadas e subjugadas, acabam por subjugar os seus próprios corpos. ÁS DE OUROS é ouros, é terra, é físico, é corpo. Ah, e também é dinheiro. No signo de Virgem ele fica reforçado em todos esses aspectos.

Se possuímos uma limitação física por doença ou acidente a vida fica mais difícil. Se possuímos limitações financeiras a vida fica mais difícil. Porém, cada pessoa traz o seu karma e ele (o karma) marca o corpo a ferro e fogo. Isso não quer dizer que devamos ficar sujeitos ao karma e sim fazer dele um aliado para a nossa evolução espiritual. Temos vários exemplos de pessoas que são deficientes físicos de nascença ou que se tornaram devido a acidentes que, ao invés de agirem como derrotados em depressão, dão a volta por cima e fazem do limão uma limonada. É claro que devemos levar em conta o tempo particular de cada um para se vivenciar a dor, se elaborar a dor. Esse tempo de elaboração da dor é importantíssimo e cada um deve ser respeitado no seu ritmo particular. ÁS DE OUROS é Um, é nascimento, é recomeçar. Não importa o momento que você está vivendo, se mais penoso ou mais bem aventurado. O momento sempre é de recomeço, de nascimento e renascimento. Não importa a sua idade cronológica, o que importa é a sua consciência de que tudo é novo a cada inspiração. Expiremos a velha vida e inspiremos a nova vida. A cada inspiração visualizemos o ÁS DE OUROS entrando com o ar inspirado e indo até às profundezas do ventre. É aí no ventre que ele se tornará semente e poderá se transformar numa fonte inesgotável de criatividade. Falarei mais sobre o ventre e os intestinos no próximo post. Até lá!

Joel Munhoz Tarô Tântrico

Deixe Que A Deusa Kali Tome Conta Do Seu Passado

Os céus estão distantes para você? Entenda-se por céus o bem-estar, a liberdade, o prazer de viver.  Lembrando também que não estou falando aqui de céu físico, mas de céu interior. O céu, a terra, o inferno, a amplidão do espaço, o bem-estar, a dor, a alegria, a tristeza, todos esses espaços e dimensões infinitas estão dentro de você. Respire fundo. Está conseguindo? Sua inspiração está realmente indo fundo ou ainda está meia boca? Solte o ar antigo pra fora. Isso, solte pela boca. Sopre com força. Livre-se de tudo o que é velho. Livre-se do passado. Sopre com força para bem longe. Deixe que a Deusa Kali tome conta do seu passado. Já viu a deusa Kali? A suprema deusa do tantra? É essa mesma, com muitos braços e uma expressão furiosa no olhar. A sua fúria é plena de compaixão, pois ela é senhora do tempo. Ela destrói e transforma o seu passado para trazer a sua atenção para o presente, único momento em que a Vida acontece de verdade.

Vamos compreender um pouco mais esta coisa de passado. Todo mundo tem um passado, certo? Tem um aspecto do passado que é bom. O passado relacionado à memória factual ou física. Este é bom. Já imaginou se você não lembrasse o seu nome, o seu endereço, o conhecimento necessário para a prática do seu trabalho ou ofício, o nome do (a) seu (a) esposo (a), não lembrasse dos seus pais, dos seus filhos, dos políticos que só fizeram merda com os seus mandatos e não merecem mais o seu voto? Ou as ações que você tomou e não deram certo? A experiência nas mais diversas áreas da vida é que nos permite ir burilando a nossa habilidade e nos tornando mais maduros. Esse passado é bom, é útil. Uma pessoa que é acometida de amnésia fica em maus lençóis certamente. Precisará da ajuda de terceiros para poder se mover na sociedade.

Livre-se do passado relacionado à memória psicológica

Mas tem outro aspecto do passado que é uma droga. É o que está relacionado à memória psicológica. É a interpretação ou racionalização da sua mente em relação às mais diversas situações que você viveu. Um trauma, por exemplo: você passou por uma situação difícil, frustrante, decepcionante, desagradável, que causou muita dor. Você não consegue esquecer isso. Ou, às vezes, a situação é tão traumática que a pessoa esquece totalmente. Esse esquecimento é necessário para ela poder prosseguir na vida. Mas isso não significa que o trauma não esteja bem estabelecido a nível inconsciente. Trabalho com regressão terapêutica e isso é um fato muito comum. Submetida a um trabalho de regressão a pessoa lembra de fatos que não sabia – a nível consciente – terem acontecido com ela. E esse trauma inconsciente fica dominando a vida da pessoa, fica ditando o que ela deve fazer ou não. É o que denominamos de comportamento inconsciente ou automático. Você reage da mesma maneira a determinados tipos de situações.

Livre-se do passado receba o presente

Esse tipo de passado é muito nocivo e está sempre se imiscuindo no presente, aliás, não deixa você viver o presente onde tudo é novo e fresco como o orvalho da manhã. Você não precisa carregar esse passado. É um fardo muito grande que drena a sua energia vital. Podemos nos livrar do passado em qualquer momento. Não há necessidade de nos retirarmos para algum lugar isolado ou ficarmos numa posição específica. Isso também é bom, mas não podemos esperar por um momento ideal para exercitarmos o desapego. Se você puder, ok, faça alguma técnica de meditação que melhor se adapte ao seu jeito de ser. Mas, em outros momentos, você também pode exercitar o deixar ir.

Sempre que você tomar consciência de que algum fato passado o está perturbando, inspire e viva isso profundamente. Então expire e solte para a deusa Kali. Essa prática pode ser feita em segundos, no trânsito, numa fila, no ônibus, no avião, em casa, no trabalho, num ambiente social, etc. Inspire e vivencie a preocupação do passado profundamente. Expire e solte para a deusa Kali. Sinta que a deusa Kali está aí ao seu lado pegando o seu passado, o devorando e o transformando em presente. Receba o presente das muitas mãos da deusa Mãe e diga mentalmente: eu me perdoo. Só você pode se perdoar, ninguém mais pode fazer isso por você. Seja grato à deusa Mãe ao receber o presente das suas mãos. A Vida é um presente que ganhamos apenas estando no presente.

  • Texto escrito sob a inspiração do tantra arcano 13 A MORTE.

Livre-se do passado receba o presente

Joel Munhoz Tarô Tântrico